0


Saudações da Luz,

O assunto deste artigo é relacionado ao último ponto do questionamento que desenvolvemos dentro das atividades de estudos da GM: Para Onde Iremos?

Os dois anteriores – “Quem Somos?” e “De Onde Viemos?” foram os mais debatidos, estudados e pesquisados entre nós dentro dos trabalhos direcionados ao despertar da consciência espiritual.

O terceiro e último ponto se relaciona com o processo ascensional pessoal, coletivo e planetário e será a próxima etapa das atividades que já vem sendo desenvolvidas dentre as metas traçadas pela GFH.

Como muitos dos meus leitores já vêm percebendo, estou escrevendo menos neste meu blog “Caminhando com o Mestre” e por que isso está ocorrendo?

Então digo que não é apenas estar produzindo menos artigos ou até mesmo não dando sequência aos encontros ao vivo que vinha realizando, mas sim, que as minhas atividades bem como as da Corujinha estão focadas em outra direção.

Aquele que leu os dois livros da série “Terra II" – "A Batalha de Nibi" e "Comando das Trevas" - poderá entender que a vida de Guerreiro da Luz não é uma vida tranquila e monótona, mas sim, dinâmica, ininterrupta e diária, pois compreenderá que o mundo em que vivemos vinha sendo manipulado intensamente de forma destrutiva pelas forças alienígenas negativas há centenas de milhares de anos.

Quem já leu sobre as Operações de Resgate realizadas pelo CAD soube da realidade que acabamos nos envolvendo de forma indireta no início destas missões e que depois desencadearam as reações trevosas que culminaram numa onda de retaliações por parte de todas as forças umbralinas desfechadas contra nós.

O despertar da consciência começa pelo conhecimento sobre a vida no mundo espiritual onde a vida é abundante tanto no nível superior quanto no mais baixo do embaixo daquilo que é denominado de plano astral e de umbral. A vida existencial nestes níveis dimensionais é muito mais real do que a do plano físico. E essa realidade chocou muitos Trabalhadores da Luz.

Muitas entidades espirituais já diziam que para compreender a existência extraterrestre era preciso primeiro conhecer a espiritualidade, isto é fato.

Pois são esses seres alienígenas que vamos encontrar em quase todos os redutos umbralinos, onde as Operações Resgate têm sido realizadas. E nestes locais foram descobertos infindáveis laboratórios de experiências com entidades da raça humana servindo como cobaias.

Todas as missões executadas pelo CAD nos mergulhos neste mundo umbralino foram marcadas por reações contra as Operações Resgate, ocasionando retaliações devastadoras em nossas fileiras ao longo do tempo. Se não fosse a alma guerreira de cada um dos seus integrantes que sobreviveram nesta longa guerra umbralina, nada restaria de nós, muito menos a história que hoje está registrada no Livro da Vida.

Inicialmente as missões foram planejadas para o resgate de pessoas desencarnadas em redutos com fáceis acessos, pois eram realizadas com o propósito de promover um treinamento sério, disciplinado e ao mesmo tempo promover a triagem dos membros que iriam integrar as equipes posteriormente em missões mais perigosas.

A primeira equipe ficou conhecida como Grupo Águia Dourada e atuou entre os anos de 2013 a 2014 até recebermos os mensageiros da Fraternidade Negra (magos negros) e depois do Governo Sinistro (império draconiano terrestre) que trouxeram a declaração formal de guerra contra a GM. Durante um ano recebemos diversos ataques e foi uma época em que os danos começaram a refletir no nível físico.

A intenção deles era bem clara. Não iam permitir as nossas ações de resgate pois a maioria das entidades aprisionadas eram utilizadas como alimento e isso ficou bem evidente quando começamos as operações que nos levaram aos redutos destas organizações que eram verdadeiras bases militares fortemente protegidas.

Numa outra frente a GM tinha implantado a Teia Crística da Terra para iniciar a Grande Missão de forma efetiva no nosso planeta e essa ação desencadeou outra retaliação por parte das forças alienígenas negativas instaladas nos subterrâneos da crosta terrestre. Para fazer frente a eles, foi necessário criar o CAD, pois as baixas no GAD foram fulminantes, que incluiu até o seu comandante.

Para nós já estava bem claro, estavam cumprindo o que tinham dito... Não entregariam a Terra sem luta!

Nesta época a ajuda da Hierarquia Espiritual e do Comando Ashtar eram fundamentais para nos manter na atividade e na Grande Missão. Posteriormente o engajamento direto do Povo de Aruanda principalmente nos confrontos, tínhamos um rico aprendizado que fortalecia o nosso conhecimento. Em cada derrota uma nova estratégia era criada. E a cada missão cumprida com vitória, a lição jamais era esquecida.

Entre vitórias e derrotas com muitas baixas em nossas fileiras, o CAD foi avançando etapa por etapa... A participação dos Exus Guardiões mudou o rumo desta guerra que mais parecia um grupo de formiguinhas lutando contra tropas de elefantes.

As diferenças tecnológicas e o poderio bélico era um grande diferencial, mas foi possível superar este abismo com criatividade, coragem e iniciativa a cada limpeza dos redutos da Fraternidade Negra e depois na guerra iniciada pelo Governo Sinistro contra nós, enfrentando exércitos reptilianos comandados por draconianos. Estas batalhas ocorreram nos ataques contra o NA, no Oceano Atlântico, nos céus da Europa, da África e até na Antártida... Envolvendo até combates diretos contra comandos de projetores, formados por membros da elite militar e das inteligências secretas existentes em nosso planeta.

Foram dias e noites de combate ao longo de dois anos... Sobrevivemos.

Eles tinham como plano instalar um governo único no planeta, que naufragou quando fundamos a GFH. A partir disso, a raça humana conquistou a condição de dirigir de forma consciente a sua própria evolução e seguir o Plano Divino. O Manifesto da UTL consagrou o direito da raça humana de ter a sua representatividade diante da Sociedade Cósmica e Universal e isso foi concretizada pelo reconhecimento pela Hierarquia Divina da GFH.

Foi para impedir esta consagração oficial que recebemos ataques diretos durante a realização de todos os 12 Atos da Fundação da GFH. Ataques promovidos pelo Governo Sinistro, que era comandado pelos draconianos e executados pelos exércitos reptilianos. Conseguimos conter e repelir todos os ataques contra os primeiros 8 Atos, sendo necessário revelar a manipulação umbralina que ocorria nos núcleos dos Trabalhadores da Luz e informar a verdade que havia por trás dos códigos numéricos, amplamente utilizados por pessoas que desconheciam o propósito destas codificações.

Essa revelação ocasionou uma das maiores retaliações por parte dos draconianos, reptilianos e por vários núcleos de trabalhadores da luz que acreditavam sem questionar naqueles Códigos numéricos. E em pouco tempo, recebíamos ataques umbralinos realizados por antigos membros da GM e do CAD, que lutaram ao nosso lado após terem sido treinados por nós. Estes combates persistiram por um período de três meses e mais uma vez, causaram ainda mais danos em nossas fileiras.

As vitórias consecutivas sobre os draconianos e reptilianos acabou desencadeando outra surpreendente reviravolta nesta guerra umbralina com a entrada direta dos comandantes de Nibiru que foram chamados para destruir o propósito do CAD, da GM e do NA de auxiliar a Hierarquia a implantar o Plano Divino na Terra. Ao longo de um mês tivemos confrontos contra as frotas nibirianas que investiam ininterruptamente contra nós. Após dois confrontos, o CAD alcançou uma vitória na terceira batalha em que o comandante supremo de Nibiru foi derrotado pelo CAD, perdendo a vida em seu plano de existência.

Na véspera do Ato 12, o comando militar de Nibiru desfechou mais duas ondas de ataque contra o NA e foram fragorosamente derrotados. Pela primeira vez tivemos que retaliar um ataque, bombardeando diretamente aquela nave-planeta Nibiru. O que era um ato de estratégia militar transformou-se num desastre de proporção jamais imaginada, pois havia atingido a população civil da raça anunnaki ocasionando perda de vidas.

Durante muito tempo tive que comparecer diante dos Conselhos Siderais e do Comando Supremo da Frota Intergaláctica para responder pelas ações do CAD. Diante desta situação, foi formada a Tríplice Aliança – draconianos, reptilianos e anunnakis - no nível cósmico para atuar contra a GM e o CAD.

Em seguida entraram neste conflito os Dragões Negros que enviaram uma declaração de guerra oficial contra nós... E com a adesão dos Morgs (nossos inimigos mortais), após a Operação Lunar, o conflito se estendeu por toda a galáxia. Como o CAD, um mês antes, havia sido elevado à categoria de Comando Estelar pelo Comando Ashtar, passamos a ser considerados uma Unidade Logística com atuação dentro da jurisdição do Sistema Solar e a partir desta linha, somente a Frota Intergaláctica poderia atuar.

Em um período que durou cerca de quatro meses, as batalhas se intensificaram causando profundos danos. O cansaço era evidente nos rostos dos comandantes do CAD, muitos deles com ferimentos graves. As frentes de combates se alternavam contra a Tríplice Aliança, os Dragões Negros, os Morgs e os que se diziam “Justiceiros” (ex-membros da GM e do CAD influenciados pela força sinistra). Do nosso lado recebemos o reforço do Povo de Aruanda que passou a atuar diretamente na contenção dos ataques contra o NA.

Durante uma contra o NA, a Tríplice Aliança foi derrotada, ocasionando a vitória total do CAD. Neste dia, diversos membros do Governo Sinistro vieram numa imensa nave de comando com todos os comandantes da Aliança. Quando esta nave foi abatida pelo CAD, todos foram aprisionados e levados ao Conselho Sideral, onde foram desvendados todos planos sinistros e traições ocorridas até mesmo dentro da GM e no CAD.

Após muitas investigações, relatórios e denúncias, os membros da Tríplice Aliança foram banidos do orbe terrestre colocando fim no império draconiano na Terra. Os comandantes militares de Nibiru foram penalizados com a extinção após um severo julgamento realizado pelo Conselho Sideral. O regente planetário de Nibiru posteriormente pediu a intervenção do Pai Micah quando os draconianos assumiram o controle de Nibiru ao sequestrar todos os membros do governo deste orbe num ato de alta traição. Esses draconianos foram presos e banidos então do nosso Universo.

O caso com os Dragões Negros, como o dos Morgs foi solucionado com a instalação da Regência Planetária da Terra. Depois se afastaram do orbe terrestre a raça dos Dragões Brancos e outras raças alienígenas. Restou ao CAD os combates com a dissidência destas raças interplanetárias que tinha desaparecido durante o processo de banimento deste orbe e que se encontravam escondidos nos mais profundos redutos umbralinos da Terra.

Durante o processo de transição entre a Regência Planetária e a instalação do Governo Planetário pelo Pai Micah, o CAD passou a enfrentar os maiores desafios contra as raças conhecidas como os Xopatz e Arcontes. Este confronto ocasionou muitas baixas dentro da GM causando o fracasso do Projeto Terra instalado em Barra do Garças no Mato Grosso. Os danos físicos, psíquicos e mentais foram profundos.

O retorno para a antiga base do NA em Águas Lindas de Goiás foi marcado por ataques diários por parte dos Xopatz, onde por duas vezes fiquei afastado do trabalho por mais de um mês para tratamento de saúde. Perdas de recursos financeiros foram assustadores. Contra os Xopatz, os riscos de vida foram mais graves e contundentes. Mesmo assim, o CAD contou com o apoio, o amparo e a união de todos os comandantes estelares, da Hierarquia Espiritual, do Pai Micah e do Povo de Aruanda. O Comando Ashtar permaneceu na proteção direta do NA e de todos os membros do CAD.

Estes são os motivos da minha ausência pública e da diminuição da publicação dos meus artigos. Se não estava numa frente de combate estava em recuperação dos danos ocasionados na minha estrutura física e nos corpos sutis. Não tem como negar a intensidade dos ataques mentais com efeitos físicos e psíco-emocionais contra nós. A Corujinha recebeu os maiores ataques diretos por parte dos Xopatz. Até hoje ela está em recuperação e tratamento médico espiritual pelos danos ocasionados durante os combates que ela participou.

Como consequência desta guerra umbralina contra os Xopatz e Arcontes, os desgastes foram evidentes. Poucas horas de sono e muitas noites, dias e madrugadas em batalhas e operações. Um fato foi marcante em relação a esta raça mais temida em vários universos e não somente nas galáxias. Eles iniciaram os ataques contra o NA após a decisão de publicar o livro “A Batalha de Nibi”, porque não queriam que fosse revelado o que tínhamos descoberto sobre as atuações dos Arcontes.

Os Xopatz foram vencidos. Com a exceção de alguns membros desta raça, grande parte de seus membros foram extintos em razão do decreto emitido pelo Pai Primordial do Grande Sol Central, na semana passada.

A partir de agora vamos assistir o início do fim...

... O fim das intervenções e manipulações malignas perpetradas por alienígenas negativos contra a humanidade terrestre.

E o início da nova era de fato, rumo à verdade crística que será implantada definitivamente neste orbe. O processo de despertar planetário virá de uma forma surpreendente e a ascensão planetária toma outro rumo, aquele que havia sido inicialmente planejado dentro da Criação.

A Humanidade estará realizando o Plano Divino do Pai Micah, sendo capaz de retornar às nossas origens: à Sociedade Cósmica e Universal.

A Luz esteja convosco!
Paz em Cristo,
Shima.
Namastê.

(*) O CAD foi elevado no mês passado à condição de membro da Confederação da Frota Intergaláctica e promovido a Comando Cósmico e Galáctico.

(**) Haverá a necessidade de um tempo para que as curas se processem de forma natural e consciente por parte de muitos trabalhadores da Luz como da Humanidade como um todo. O fator decisivo no processo ascensional ainda será as escolhas feitas pelo Livre arbítrio.

(***) A Limpeza Planetária em curso tomará um rumo mais profundo devido às descobertas dos danos causados no corpo de Gaia pelos Xopatz e pela quarta geração da raça deles conhecida como Arcontes.


(****) O reconhecimento da Terra como um orbe crístico pelas forças negativas foi oficializado após o encontro do CST (Conselho Supremo da Treva) que representava a Força Anticrística em nosso planeta com o Príncipe Planetário da Terra, em uma reunião ocorrida no início deste ano, onde o CST comunicou a retirada deles do orbe terrestre. Lembrando que o CST e a Fraternidade Negra são duas entidades distintas e independentes. O propósito do CST era a de ancorar a energia anticrística para promover a dualidade na experiência humana aqui na Terra.
 

Postar um comentário

 
Top