0

 
Imagem: AM POST.


OS SISTEMAS CAPITALISTA E COMUNISTA NO CONTEXTO UNIVERSAL


Antes de começar a discorrer sobre o tema de hoje, peço a você que considere que os termos usados aqui como “Capitalismo”, “Socialismo”, “Comunismo” e “Jogo”, se referem a padrões energéticos e formas de organização do sistema Universal.

Desta forma, peço que considere tais termos como a forma utilizada que melhor denomina estes processos que relato abaixo.

Sendo assim nenhuma expressão deve ser utilizada somente no sentido literal, mas acima de tudo, no contexto universal para que a compreensão do que vou revelar se proceda de forma lógica e consistente.

Quando falamos de sistemas surge muita confusão, conflito e distorção... é um fato que vivenciamos no cotidiano. O capitalismo e comunismo/socialismo são tendências criadas.

Há que ter uma polaridade global para que a máquina (“jogo”) funcione. Um “jogo” sem no mínimo 2 “jogadores” não é “jogo”. Há um Tabuleiro Cósmico de Xadrez (Matrix) que são Hologramas criados, digamos que no nosso caso de 3D terrestre, tem uma matriz na 8D... no qual há 4 mundos inferiores (1D, 2D, 3D e 4D). Cada mundo é uma etapa do “Jogo”.

Em cada Etapa (Ciclo) existem metas a serem alcançadas e um propósito: vencer ou concretizar um objetivo. As 3 primeiras Etapas são bases a serem conquistadas e na 4ª Etapa é o ponto máximo do Jogo em si, pois quem ganhar as 3 primeiras estabelece na 4ª o seu propósito ou seja, o seu projeto em si (Plano Divino ou Plano Criador).

Aqui no plano físico da 3D a tendência é denominar cada uma das forças ou “jogadores” por um nome. Cada jogador tem sua estratégia, método e estilo...


A ANALOGIA


Na espiritualidade se denomina "luz x treva", na frota intergaláctica de "confederado x não confederado", na hierarquia espiritual de "crístico x anticrístico", na sociedade humana de "capitalismo x comunismo", no conceito humano de "bem x mal", na política de "democracia x ditadura" e assim sucessivamente dentro das crenças e valores da coletividade, nação ou família.

Portanto a radicalização gera conflitos, discórdias e até guerras. Mas o fundamento é a existência de duas forças que nesta "batalha" (jogo), formam alianças, parcerias, seguidores e até "torcidas" a nível cósmico e universal.

O que procuro trabalhar nos meus artigos está mais focado na denominação de Crístico e Anticrístico, pois estamos num Universo que é Crístico, sendo este Universo inserido dentro de outros Universos Maiores que formam um Superuniverso.

O que ocorre é que dentro de um Projeto ou Plano Divino que no nosso caso caso é de autoria do Pai Micah (Filho Paradisíaco), outros Pais Criadores (irmãos do Pai Micah) foram convidados a participar deste Plano Divino de forma que cada um que já tinha seu próprio Projeto Criativo e o “Jogo” em si poderia fazer a inserção destes outros Planos e Projetos a serem experimentados dentro do Plano Divino do Pai Micah que é único dentro de toda a Criação por justamente aceitar este tipo de experiência e permitir a volta do Filho/Filha à Fonte primordial, podendo inclusive se tornar co-criador.

Então, foi aí que surgiu a condição de “Jogo”, que foram os Ideais e Projetos antagônicos em relação a um propósito crístico. Já que Os Filhos Paradísíacos que são Crísticos tendem a acrescentar e aprimorar o Projeto do Pai Micah, enquanto os outros que são diferentes em termos antagônicos (Anticrísticos) naturalmente tendem a impor a base e essência de seus projetos no plano do Pai Micah.

É nisso que consiste a existência de Dois “Jogadores” Cósmicos e Universais, pois cada Filho Paradisíaco é um Pai Criador do seu Universo e procura noutro Universo re-criar o seu projeto gerando daí os desacordos (atritos) que são energias de conflito - ação x reação/positivo x negativo devido às polaridades opostas.

Nas criações subsequentes destes Pais Criadores são geradas criaturas (seus filhos co-criadores) que são entidades que passam a criar raças e espécies pelas galáxias e sistemas. Cada um destes filhos estabelece seu próprio projeto personalizado dentro do aprendizado em que cresceu e se desenvolveu.

Temos então duas forças básicas de sustentação dentro da Criação deste Universo Local do Pai Micah, a Crística e a Anticrística, considerando neste caso este Universo Local como o Tabuleiro de Xadrez Cósmico.


O “JOGO” CÓSMICO INTEGRA O PLANO DIVINO


Vamos tentar entender a existência de um Plano Divino em nosso Universo que é um propósito do Pai Micah dentro da sua Criação.

Você tem um laboratório e recebe as diretrizes de um governo para criar um projeto para determinado campo de experiência. No caso deste laboratório será criado e fornecido todas as condições para o sucesso deste empreendimento.

O projeto estabelecido será a criação e a evolução de uma espécie de raça a ser desenvolvido num determinado habitat, onde o ambiente fica reservado à expansão desta linhagem específica.

Grupos e equipes de cientistas, técnicos e especialistas são convocados para participarem deste projeto e cada membro tem o seu potencial, aptidão e conhecimentos para o exercício da função.

Como em todo o projeto é necessário criar o protótipo que servirá de modelo para toda a experiência e assim, a matriz da raça humana foi criada após vários testes e experiências. Usou-se nesta criação vários outros métodos de experiências que tiveram sucesso anteriormente.

Neste projeto havia um diferenciador em relação a outros projetos (Planos Divinos), porque tinha em seu processo a expansão da consciência até o nível da 12D, enquanto as outras se limitavam até a 8D. Essa diferença foi algo desafiador e ao mesmo tempo conflituoso, pois afetava diretamente os outros projetos até então considerados como o ápice da Criação.

A 12D estabelecia uma “ponte” entre os mundos dimensionais criados por outros Pais Criadores, abrindo uma porta entre estes mundos e criando um caminho na direção da Fonte de onde Tudo se Originava. Resumindo, as criaturas criadas alcançavam a condição de atingir o nível de conhecimento dos cientistas que os projetaram e daí também, integrarem a equipe do laboratório em suas criações, passando então a poder contatar também os membros do governo que dirigiam os projetos daquele laboratório.

Essa foi a “revolução” causada pelo Plano Divino do Pai Micah em relação a dos seus irmãos Criadores, despertando muita curiosidade e interesse em conhecer e compreender este Projeto. Para uns parecia contraditório pois o Projeto do Pai Micah estava na contra mão de seus Projetos pessoais, o que  poderia causar conflito naquilo que já estava em andamento em seus laboratórios.

Para outros houve o interesse visando melhorar as suas experiências.

Foi então que o Pai Micah fez o convite a todos Aqueles que desejassem participar deste Projeto Divino estabelecido para a Sua Criação. O laboratório do Pai Micah ficou então à disposição de todos os seus Irmãos e de suas equipes de cientistas.

Agora imagine o que passou a acontecer quando cada um destes Irmãos decidiram implantar os seus projetos dentro do Plano do Pai Micah?

Começou aí, a inversão de muitas experiências dentro da Criação. O que era para ser um compartilhar de conhecimentos se tornou uma disputa de poder e influência. Iniciou-se então o contrabando de genomas que viria a ser um dos maiores bens de comercialização entre as delegações intergalácticas.

A criação de várias raças com poder de dominação foi desenvolvida e elas se expandiram em várias galáxias criando impérios e colônias. As linhagens principais criaram gerações de outras sub-raças e espécies, condicionando aos habitats de cada quadrante de uma galáxia.

Surgiram desta expansão as Ordens de linhagens puras e altamente evoluídas no nível mental. Os conflitos entre estas Ordens ocasionaram as guerras cósmicas e intergalácticas. Os mentores destas Ordens estavam ligados diretamente aos seus Pais Criadores de 1º, 2º e até de 3º Grau que formavam um imenso Clã de 1ª Geração. A 2ª Geração iniciava outra linhagem com suas próprias criações.

Então havia 11 Gerações totalizando 33 Graus de desenvolvimento.

O Plano Divino do Pai Micah contem 12 Gerações com 3 Graus de Iniciação conhecido como a Tríada Espiritual onde o Todo está contido e é o Grande Mistério Oculto deste Projeto Primordial da Fonte Que Tudo É.

Do Universo Anticrístico surgiram várias Ordens que se estabeleceram neste Universo Local, destacando-se as que vêm influindo diretamente na raça humana: as Ordens dos Dragões Vermelhos, Brancos, Negros e Azuis. E cada uma destas Ordens criou suas gerações com raças e sub-raças, onde algumas chegaram a se manifestar no plano físico da superfície terrestre em um passado longínquo. A Era dos grandes répteis está ligada a essas experiências na Terra. Nos continentes da Lemúria e da Atlântida havia a convivência entre a raça humana e a dos dragões.

A questão dos intensos conflitos no orbe terrestre na disputa de influência e poder tem ocorrido pelo fato de haver estas Ordens em atuação em todos os níveis de consciência no processo evolutivo da raça humana. Uma experiência acabou ficando interligada com outras experiências e a Terra tornou-se um campo de propagação destas criações crísticas e anticrísticas no sentido de medição de forças.

O caso que envolve um sistema de governo nada mais é do que a manutenção da ordem estabelecida pela disputa de poder que forma a sociedade destas Ordens dos Dragões contra o propósito divino da Raça Humana. Todos os dois sistemas conhecidos no mundo como Capitalismo e Comunismo já se desviaram do seu propósito inicial e o nível de contaminação já causou muitos danos em todas as raças afetando os projetos originais.

Então não se pode mais catalogar o que é Crístico ou Anticrístico em sua atual dimensão. Assim a linha do Livre Arbítrio (Raça Humana) e a linha Draconiana (Ordem dos Dragões) estão em contínua tentativa de implantação no orbe terrestre. Resta apenas o veículo físico da raça humana como instrumento de manifestação, por isso a disputa de poder e dominação se estabelece no nível da consciência. Aí está a chave da disputa.

A força que dominar a consciência humana domina a Terra. O corpo carnal é apenas o veículo de atuação e de manifestação. Nada mais do que isso.

A questão da China Comunista será um dos assuntos a ser publicado na série Destino das Nações, pois é interessante no contexto atual ao envolver diretamente a Ordem dos Dragões Vermelhos, na disputa de poder que envolve o Capitalismo x Comunismo e a decisão tomada pelos dirigentes da China Vermelha para a sobrevivência do regime da Ordem dos Dragões Vermelhos, aqui na Terra.



CAPITALISMO X COMUNISMO - DEMOCRACIA X DITADURA


Sobre o Capitalismo (no contexto original de sua criação universal, o que chamo de Capitalismo fraterno) há que se compreender que é um sistema de Livre Arbítrio (compreende o significado e seus desdobramentos?) enquanto o Comunismo é um sistema que se origina de outra fonte ou de outro “jogador” (Anticrístico).

Entende-se daí que o que serve para um, pode não servir para outro jogador, senão não haveria a necessidade do “Jogo”. As raças crísticas e anticrísticas tem seus próprios sistemas de vida, governo, sociedade e expansão. A criação de raças planetárias segue cada um o princípio do seu Criador seja o Deus-Pai ou seus Filhos Co-Criadores.

Os filhos descendentes dos Filhos Co-Criadores normalmente são os Pais criadores de Raças planetárias que criam a partir de uma matriz/modelo original (primordial) e desenvolvem cada espécie ou linhagem de acordo com o ambiente (galáxia, sistema, constelações ou universos) se adaptando a cada tipo de orbe.

A linhagem da raça humana segue o exemplo do Capitalismo (Livre Arbítrio) enquanto as outras raças não humanas (draconianas, reptilianas, insectóides etc) são criadas dentro do sistema coletivo, tipo reino animal onde há um comando de liderança central - uma rainha comanda o ninho) e neste caso percebe-se a não existência do livre arbítrio já que tudo segue um modelo pré-determinado em sua origem. A ordenação parte de cima para baixo. Esse é um modelo que se manifestou com tendência anticrística (Primordial) no orbe terrestre.

Já o modelo crístico atua sustentado num processo de individualidade no qual há o livre arbítrio de escolher o próprio caminho, descobrir, redescobrir e co-criar livremente e por atração, afinidade, similaridade cria-se a coletividade e o bem estar, formando a base da pirâmide a partir do individuo até que "todos ascendam totalmente na luz e sejam livres", ou seja, retornem à Fonte à partir do entendimento que ocorre quando desperta a sua consciência já existente e se expande, se tornando o Todo.

Basicamente é essa a diferença entre o Capitalismo e o Comunismo, são duas forças cósmicas diferentes com propósito diferentes. Uma te leva de volta à Fonte como Co-Criador enquanto a outra mantém todos na base da pirâmide e sustenta o topo com as mesmas fontes criativas.

Na manifestação da realidade física 3D (holograma) é a pirâmide com a base larga embaixo, onde a raça humana está na manifestação da realidade física 4D o propósito crístico é a pirâmide invertida ou seja, com a ponta para baixo. O simbolismo é que a raça humana ascensiona e volta ao Pai, portanto, a parte larga fica para cima.

O simbolismo da estrela de Davi de seis pontas significa este Plano Divino do Pai Micah, que envolve as 6 Etapas ou 6 Caminhos... a meta da Humanidade Terrestre (6D).

O que parece ser segregação ou disputa de poder pode ocorrer dos dois lados da mesma moeda (tabuleiro), pois um jogador tende a dar prosseguimento no que é a regra do “jogo” (crístico) enquanto o adversário tende a impedir e destruir o que é um “jogo” natural, pois o adversário como é dito, veio para o campo de “jogo”, onde este “jogo” já vinha sendo jogado com clubes de um mesmo país (nação) que no caso era da própria raça humana.

Os adversários que mudaram as regras são as raças alienígenas negativas (anticrísticas) e o seu sistema de “jogo” é a implantação do comunismo (ambiente do “jogo”) que logicamente entra em conflito direto com o capitalismo (modelo da raça crística e humana terrestre).

Temos o Todo (Plano Divino do Pai Micah) que é desdobrado em etapas) e a visão comunista tende a mudar o “jogo” a partir do momento em que fragmenta cada vez mais as regras alterando uma jogada para um pequeno ponto (minoria) e potencializa cada um deste fragmento para criar novos hologramas.

Por isso digo que os ataques contra a força crística são desferidos para potencializar a negatividade (anticrística) destes pontos fragilizados e assim desviar a atenção global/nacional para pequenos conflitos que geram distração e desvio de propósitos do Grande “Jogo”.

A distração tem o objetivo de levar as consciências humanas a não pensar a vida que move o “jogo” e sim a focar a atenção nos problemas e conflitos, ocasionando assim a prisão no casulo e quem se deixa aprisionar nestes detalhes, não alcança a grandeza de vivenciar a vida em sua plenitude, pois perde mais tempo em ficar preso nas armadilhas das pequenas coisas negativas e com o tempo torna-se uma bola de neve.

Assim o que era um pequeno movimento de jogada, torna-se todo o “jogo” em si. Não sai deste ciclo vicioso, onde o holograma criado de forma intencional fica girando como aquele disco com defeito repetindo o mesmo padrão.

Todos os dois lados da força tem o seu objetivo, vencer o “jogo”. Um usa a força de forma amorosa que une e cresce e a outra força usa do medo que desagrega e causa discórdia e nisso segrega.

Percebe aqui o ponto onde se identifica quem é quem neste “Jogo”?

Pense nisso.

Gratidão profunda.
Em luz e amor,
Shima.
Namastê.

(*) A prática da escravidão de uma entidade humana ou de uma raça planetária, é uma metodologia draconiana, por isso nas vitórias era comum transformar os prisioneiros em escravos. No Brasil este método foi condenado pela Princesa Isabel que pôs fim a este tipo de subjugação e pagou o preço com a perda da Coroa.

Postar um comentário

 
Top