0



Saudações da Luz,

O Que Ocasionava os Conflitos e as Guerras Cósmicas?

Para prosseguir na primeira questão mencionada no artigo anterior onde comentei sobre a origem da “Democracia e o Livre Arbítrio”, é preciso abordar alguns pontos sobre a expansão e a forma como se interagiam os Reinos do Universo Crístico do Pai Micah e o funcionamento de seu Sistema de Governo a nível Universal.

Vamos comparar essa forma de Governo ao modelo da Nação Brasileira.

Temos o Brasil como um País soberano e independente, cujo governo é federativo onde os Estados tem sua própria Constituição e governa por si mesmo através da eleição do seu governador. Dentro da jurisdição Estadual, as cidades principais formam os Municípios e são regidos pelas Leis Orgânicas, sendo governados por Prefeitos eleitos.

Para uma visão simplificada vamos considerar um Superuniverso como um Sistema Solar neste caso de forma ilustrativa veja o planeta Terra como um Grande Universo, as Nações como Universos Locais, os Estados como Galáxias e os Municípios como Sistemas Solares. As várias cidades que compõe um Município seriam como orbes planetários semelhantes à Terra.

Da mesma forma como ocorre no Brasil, em cada setor do Grande Universo há os Governos Centrais que são administrados por um Governo Central, aqui no caso, pelo Governo Central do Pai Micah. Este Universo Local onde a nossa Via Láctea está inserida tem um Governo Central também, que é dirigido por Sananda Kumara, que ocupa o cargo de Governador. Este Universo Local é composto por 21 Galáxias.

A partir deste ponto temos uma diferença com relação às Galáxias que são administradas por um Grande Conselho Cósmico e Universal como se fosse o Congresso Nacional, cujos membros são formados por representantes de cada Galáxia e suas Regiões que são denominadas de Quadrantes compostas por Constelações e Sistemas Solares. Este Grande Conselho tem o poder de deliberar, legislar e julgar, sendo reunido numa forma de Assembléia para cada caso a ser resolvido.

Os integrantes do Grande Conselho Cósmico e Universal são compostos por Instrutores, Mestres, Pais Criadores de Raças Planetárias, Comandantes Estelares das Frotas Intergalácticas, Representantes das Casas de Comércio (Clãs de Negócios), Governantes de vários setores e quadrantes de cada Galáxia, além dos Imperadores, Príncipes e Regentes Planetários.

Dentro do Governo Central do Pai Micah prevalece os princípios da Democracia e do Livre Arbítrio e nas reuniões do Grande Conselho Cósmico e Universal esses encontros são realizados na forma de um Conclave Local. Tudo é feito para o desenvolvimento e cumprimento do Plano Divino do Pai Micah que é um Projeto elaborado a partir do Plano Maior da Fonte Que Tudo É.

O Princípio Democrático e o Livre Arbítrio é um diferencial em relação aos outros Planos Divinos dos Filhos Paradisíacos, onde cada um Deles estabelecem os próprios Projetos; todos são elaborados a partir do Plano Maior do Pai Primordial e supervisionados pelo Governo Central da Fonte Que Tudo É. Neste nível de Governo atuam as Ordens dos Anciões dos Dias, dos Melquisedecks e de várias outras Ordens, Conselhos Centrais que gerenciam a criação e a expansão da Vida dentro da própria Criação.


A Realidade Anticrística

Outro Grande Universo que faz a fronteira com o do Pai Micah é governado por um dos seus Irmãos conhecido como Anhotak, o Pai Criador da Vida em seu “Planeta”. Aqui então poderíamos exemplificar estes Dois Grandes Universos como o planeta Terra do Pai Micah e outro planeta do Pai Anhotak existente em outro Sistema Solar, mas que são vizinhos no espaço universal, da mesma forma como há os países limítrofes.

Ocorre que também o Pai Anhotak criou o seu Plano de Governo seguindo o Padrão Modelo emitido pela Fonte Que Tudo É. O Princípio que rege o Projeto Divino do Pai Anhotak é bem diferente, Ele determina a Sua Criação de uma forma onde os seus Filhos Co-Criadores devem seguir uma linha evolutiva em que as criações devem ser o de “Trabalhar e Expandir”, não havendo a possibilidade dentro do Projeto de suas Criações poderem retornar à Fonte Que Tudo É. Assim, eles devem sempre seguir em expansão pelos Universos Locais, trabalhando neste propósito exclusivo.

É uma Diretriz única. A de todos trabalharem para um determinado fim. Aqui fica caracterizado o objetivo “Comum” para todos. Daí a expressão “Comunismo” para o Sistema de Governo do Pai Anhotak. É interessante que nesta questão há que observar a não necessidade de se instituir o modelo de democracia, já que há apenas uma “ordem de comando” que unifica todo o processo de evolução das raças e civilizações.

No caso das Mônadas, todas tem o mesmo princípio de realização, criação e devem expandir sempre nesta linha em que a evolução se sustenta na expansão das raças e ocupação de todos os espaços cósmicos. Os modelos das raças seguem também uma matriz modelo bem diferente das raças humanas do Universo do Pai Micah. São mais resistentes e se adaptam a inúmeras condições ambientais, gravitacionais e de difícil sobrevivência em cada orbe.

Os Dracos e as raças Draconianas são as mais complexas criações para alcançar os fins propostos... São espécies de guerreiros, do tipo que habitam os formigueiros, onde a sociedade é dividida em classes, sendo as Operárias e a dos Guerreiros as duas mais importantes em suas civilizações. A expansão é realizada através de conquistas de orbes e Sistemas Solares onde implantam a Doutrina de ocupação. A força e o poder determinam a metodologia que é aplicada nos povos nativos por onde avançam em expansão e conquista.

Não possuem o corpo emocional como é característica da Raça Humana e o corpo mental é altamente desenvolvido, muito além da capacidade humana, pois não tem a busca espiritual como foco principal. O foco são as conquistas materiais e a crença é direcionada às tecnologias e ao poder bélico. Para a expansão de suas civilizações necessitam de muitos recursos minerais, alimentos e naves.

Por isso, estabelecem os orbes conquistados como colônias,, formando assim um Império imenso dentro das Galáxias. Várias raças criadas pelos Filhos do Pai Anhotak se reproduzem rapidamente e criam as superpopulações, necessitando então de mais orbes para habitar. Em ambientes nocivos ou perigosos para as raças, usam como mão de obra os nativos destes orbes conquistados ou aqueles que são levados em regime de escravidão para o trabalho de minerações.

Em orbes que integram os Impérios Intergalácticos e no caso aqui das conquistas realizadas em sua expansão, incluindo no Universo do Pai Micah, estabelecem uma forma de dominação dos nativos que habitam suas colônias, isto se faz através de doutrinação a forma que mais se adequa às condições originais, implantando um regime socialista para manter os povos conquistados dentro do Sistema de Governo do Pai Anhotak. Essa forma ameniza muito as rebeliões, pois se cria uma forma de distração conhecida na Terra na época do Império Romano como “Pão e Circo”, evitando assim a desintegração destes Impérios Draconianos.

Todos os casos de rebeliões foram contidos com a extinção de raças ou de orbes. O genocídio cósmico e universal é uma prática normal dentro daquele Sistema de Governo que funciona como uma Ditadura. O Medo é difundido para conter os atos de rebeldia. Os povos improdutivos para o Império são extintos. A força que impera é a do Poder pelo Poder.

Para alcançar o domínio sobre as raças humanas e outras raças planetárias do Universo do Pai Micah, fizeram estudos, pesquisas e desenvolveram tecnologias de subversão para manipular as consciências crísticas através do controle mental dos povos que eram alvos de conquistas. Os atos de corrupção foram práticas comuns que envolviam as lideranças de vários orbes de forma inocente no começo, mas depois eram criadas condições nas quais as entidades não podiam mais voltar atrás.

A quebra de acordos era penalizada com a morte. O que denominamos aqui na Terra de assassinatos e execuções.

Por isso na visão do Universo do Pai Micah, consideramos a realidade do Universo do Pai Anhotak de Anticrístico apenas porque os dois Sistemas são antagônicos em realização e propósito. Enquanto aqui impera a Lei do Livre Arbítrio e a expansão através do Amor Divino, lá tudo é regido por uma Lei Firme, Rigorosa e fortalecida pela imposição do Medo.

Não é um processo hereditário e sim promovido por uma linha de comando do que tem mais Poder em si mesmo. Herda o Poder quem tem mais capacidade de comandar e executar. A figura do Líder é incontestável. A quebra desta hierarquia é uma sentença de morte.

Os sistemas de governo não são como do Universo Crístico... São formados com a finalidade de se cumprir as metas e os objetivos propostos por um Governo Central em cada Setor ou Quadrante do Império. As falhas são solucionadas pela deposição do Líder ou Governante que é substituído por outro mais capaz e apto para comandar.

Para a proteção destes Impérios são criadas verdadeiras fortalezas e escudos planetários que formam anéis de defesa e de ataque. Em pontos estratégicos estabelecem bases e estações militares com imensas Frotas bélicas. São superiores em número frente às Frotas Confederadas do Universo do Pai Micah. Para entrar nestes Universos é preciso autorização e é praticamente impossível a entrada de entidades do Universo Crístico, pois são energias completamente diferentes. Não há como se estabelecer diálogos ou negociações exceto as que já foram determinadas por estes Impérios.

Foi com métodos de subversão, infiltração, espionagem e corrupção que membros destes Impérios Anticrísticos conseguiram penetrar no Universo do Pai Micah e ocasionar a Rebelião Luciferiana na época em que o Arcanjo Lúcifer era o Governador deste Universo Local. Daí para o começo das inúmeras guerras cósmicas ocorreu um processo de conquista.

A Paz que reinava no Universo do Pai Micah deixou de existir e todo o Universo Local foi isolado e mantido em Quarentena, já que muitas raças humanas e outras raças planetárias crísticas haviam se contaminado e o mal como o concebemos aqui na Terra se alastrou por muitas Galáxias.

A Terra foi um dos orbes conquistados pelos Impérios Alienígenas Negativos após a traição do Príncipe Planetário Caligastia que aderiu à Rebelião e se aliou às Forças Anticrísticas que haviam invadido este Universo Local.

Começou então o processo de doutrinação da ideologia destes Impérios Draconianos junto à humanidade terrestre, cujos mentores foram aqueles que conhecemos com a Ordem dos Dragões Negros, um dos maiores Impérios Intergalácticos até então existente. Os povos nativos da Terra passaram a conviver com contínuos conflitos entre um sistema de governo criado pelo Governo Central do Pai Micah e o outro advindo dos comandos alienígenas dos Impérios Negros.

Nesta guerra de conquista na superfície do planeta Terra, estabeleceram-se os períodos de dominação ora de um governo anticrístico ora de outro crístico. A destruição de várias civilizações na superfície do orbe terrestre são consequências e desdobramentos destes conflitos cósmicos e universais, no qual somos manipulados desde tempos remotos. As epopeias dos Guerreiros da Luz ao longo da história da civilização humana neste orbe, nada mais são do que este conflito contra a dominação alienígena e a ideologia que hoje é conhecida como o Comunismo.

O período mais negro da história atual da humanidade ocorreu durante a Inquisição quando muitas entidades humanas crísticas desceram à Terra para resgatar o propósito divino do Pai Micah e foram exterminadas pela Igreja que já tinha sido infiltrada e dominada pela manipulação alienígena dizimando a vida de muitos Avatares, Mestres e Sacerdotisas do período atlante que estavam encarnados naquela época.

Na sequência desta série “Conspiração Alien” vou falar sobre a segunda questão: “Como estas disputas de Poder podem afetar a Humanidade terrestre?”.

Se tiver alguma dúvida, por favor, envie seu comentário.

Em luz e amor,
Paz, Brasil!
Shima.
Namastê.


Postar um comentário

 
Top