0


A Mudança do Holograma da Terra

Saudações da Luz,

Qual o significado que há por trás da egrégora de um Guerreiro da Luz?

E por que tenho falado tanto nos meus artigos sobre os Guerreiros da Luz?

Este tema seria publicado em Minhas Reflexões, mas diante de tantos questionamentos e dúvidas achei melhor falar sobre a realidade existente nos bastidores onde têm ocorrido os maiores desafios para a implantação da Luz no planeta Terra e por isso, resolvi escrever um pouco mais sobre este assunto.

Desde os primeiros artigos publicados em 2005, mencionei por diversas vezes o que tem ocorrido durante e após a Guerra Cósmica que durou cerca de 10 mil anos até que uma trégua foi estabelecida pelo impasse gerado após muitas destruições e perdas de vidas e orbes. Essa trégua ocorreu há 15 mil anos e desde então tem ocorrido conflitos, batalhas e escaramuças em setores estratégicos dentro das galáxias que envolvem interesses comerciais e de poder para manter os domínios dos Impérios intergalácticos.

Por centenas de milhares de anos a Terra foi considerada uma colônia ora de um Império ora de outro e assim sucessivamente os confrontos se seguiam no espaço cósmico. As ações de contenção por parte das Frotas Intergalácticas da Confederação tinham apenas a intenção de evitar a extinção de vida neste orbe terrestre. Até então estes Impérios intergalácticos consideravam a raça humana apenas uma espécie de consumo, mercadoria de troca através do comércio de DNA, muitas vezes fomos usados como escravos para produção e alimento para algumas raças alienígenas negativas.

A raça draconiana conseguiu estabelecer um Império na Terra incluindo o mundo umbralino e o mundo da superfície. Entre as forças alienígenas que invadiram o orbe terrestre foi estabelecida uma Aliança, incluindo a raça anunnaki que promoveu várias modificações na raça humana alterando o seu DNA para limitar a sua longevidade que era de cerca de mil anos para menos de 10%. Os annunakis faziam visitas periódicas a Terra através da sua imensa nave, conhecida como Nibiru, escravizando os habitantes locais.

Havia influências de outras raças que causavam a intervenção direta no orbe terrestre e bloqueavam a evolução da raça humana, dentre elas a dos Dragões Negros, Dragões Brancos, Reptilianos, Xopatz, Morgs e em menor número diversas raças planetárias espalhadas neste Universo Local. Assim como ocorre com a raça humana, ocorria com todas essas raças, havia a existência de entidades tanto malignas como benevolentes. E é de fundamental importância o conhecimento sobre o propósito da criação de cada uma destas raças planetárias para compreender todo o contexto que envolveu a colonização do orbe terrestre e o conflito existencial que afetou diretamente a raça humana que foi o projeto primordial a ser implantado neste planeta, que estava contido no Plano Divino original.

A grande catástrofe ocorrida entre a 3ª Raça e a 4ª Raça e a traição do Governo Planetário da Terra no passado remoto alterou todo o Projeto Terra estabelecido pela Hierarquia Espiritual e a Queda da Atlântida (4ª Raça) foi outro evento que levou a Humanidade a permanecer por um longo período aprisionado no holograma da 2D e 3D e em consequência disso, o orbe terrestre passou a ser o palco de batalhas e experiências em todos os níveis interdimensionais tal evento ficou conhecido na Sociedade Cósmica e Universal como a guerra entre Luz e as Trevas.

Durante 25 mil anos a Terra esteve diretamente ligada aos interesses dos Impérios Intergalácticos com destaque para o Império de Órion que exerceu o domínio por mais tempo sobre o nosso planeta. E com a trégua na Guerra Cósmica, este Império expandiu os seus domínios através da raça draconiana que estabeleceu inúmeras alianças para manter o seu poder neste quadrante da Via Láctea.

Raças altamente evoluídas e poderosas de outras galáxias estabeleceram acordos para atuar na Terra como em outros orbes de vários quadrantes desta galáxia. Essas alianças intergalácticas ficaram conhecidas como Forças Não Confederadas porque não aceitaram acordos de cooperação mútua com a Confederação Intergaláctica deste Universo Local, ocasionando inúmeras batalhas de contenção para manter o equilíbrio no processo evolutivo das raças envolvidas dentro de cada galáxia.

Por três milênios a Hierarquia Espiritual vinha tentando implantar novamente o Plano Divino na Terra e o Império Romano foi uma destas experiências, já que na 4ª Raça se alternaram os governos divinos com os governos trevosos após longas guerras. Assim também ocorreu ao longo da formação das sub-raças da 5ª Raça na superfície do planeta. O Plano Divino estabeleceu um processo de evolução da Raça Humana em 7 Raças-Raízes com 7 Sub-raças perfazendo um total de 49 raças com projetos específicos para cada uma destas.

O império romano caiu, mas deixou o seu legado. Antes dele, a civilização egípcia também sucumbiu durante o apogeu quando seria estabelecido o Governo Planetário Divino na Terra. Este plano foi transferido para ser implantado durante a civilização romana, mas o desfecho na Palestina abortou novamente o propósito divino estabelecido para o nosso orbe terrestre. Desde então, as guerras se alastraram sobre a superfície do planeta com diversas raças alienígenas negativas intervindos diretamente no domínio da Terra. Os registros históricos de civilizações que existiram sobre a superfície deste orbe demarcam a guerra que existiu entre as forças da Luz e da Treva.

O desfecho da última grande guerra mundial deu início à mudança radical em nosso planeta a partir da década de 50 com a vinda de entidades espirituais comprometidas com a implantação do Plano Divino na Terra. A derrota da Força da Luz no último conflito mundial com a intervenção de forças alienígenas negativas foi o fator que determinou a intervenção divina de forma indireta. Havia no orbe terrestre, inúmeros avatares e instrutores da humanidade encarnados desde o final do século XIX e numa sequência ininterrupta começaram a descer à superfície terrestre nas décadas de 50 e 60 outras classes de Instrutores cósmicos.

Um fato ficou registrado no Livro da Vida quando a maioria das entidades espirituais que havia desencarnado na segunda guerra mundial e eram reconhecidos na Sociedade Cósmica como a classe dos Guerreiros da Luz, decidiu reencarnar novamente com a missão de promover a Limpeza Planetária desde o Umbral, onde se estabeleceram as forças alienígenas negativas em nosso planeta. A missão destes Guerreiros da Luz tinha o propósito de preparar o caminho do “Grande Ser” em sua última reaparição aqui na Terra. Este Grande Ser é conhecido nas escrituras sagradas como o Lord Maitreya, o Cristo Cósmico, o mesmo Ser que se manifestou há dois mil anos na Palestina através do Mestre Jesus.

Então, é preciso que haja a expansão da consciência para compreender a dimensão da realidade que estamos vivendo nesta atual fase da Humanidade. Não há como entender a mudança de uma Era para outra ou de uma sub-raça para outra sem que um grande Avatar se manifeste no meio da própria humanidade que Ele representa como Guia e Instrutor. Muito há o que fazer para que esse evento venha ao conhecimento da raça humana neste planeta. O primeiro passo é o despertar da consciência e em seguida o início do processo ascensional, pois da mesma forma como Ele desce os degraus do Santuário Sagrado é necessário que seus discípulos e seguidores se elevem até a Porta do Templo Celestial, onde o Encontro acontece.

A consciência desperta é algo que supera todos os paradigmas do mundo ilusório e transforma a mente humana capaz de absorver a realidade cósmica e universal. O processo ascensional é na verdade a transposição da condição humana vibrando na terceira dimensão física para o patamar mais elevado que ultrapassa a quarta dimensão e eleva a consciência humana além do nível da décima segunda dimensão. A partir disso ocorre a transmutação do reino humano para o reino espiritual, onde se encontra a Fonte da Criação e do Conhecimento Sagrado.

É o que tem ocorrido nos bastidores da Criação e está sendo concluído agora com a atuação conjunta dos Instrutores da Humanidade em ação direta com os Guerreiros da Luz.

A usurpação do Trono Divino ocorreu através de uma rebelião cósmica e universal com ações militares, então somente com a ação da classe dos Guerreiros da Luz seria possível restabelecer o equilíbrio em nosso orbe terrestre. E o comandante supremo dos Guerreiros da Luz é o próprio Arcanjo Miguel, somente Ele é capaz de estabelecer a Ordem Divina através da arte militar.

O desconhecimento dos bastidores que conduzem os destinos da humanidade terrestre é a causa de muita ignorância e desvio de conduta na sociedade humana. A grande ilusão implantada pelas forças alienígenas negativas foi colocar as entidades humanas umas contra as outras para jamais serem capazes de identificar a fonte original do mal que se alastrou por todo o planeta há milênios. Muitos membros da elite terrestre tem plena consciência desta guerra de dominação e de poder promovida pelas raças alienígenas negativas e muitos comandantes militares terrestres também evitaram que inúmeras tentativas de invasões ao nosso planeta se consumassem.

Hoje em dia, a raça humana terrestre já é reconhecida como uma entidade divina com direito à liberdade, à vida e a sua própria evolução, por parte das lideranças e governantes das raças alienígenas negativas.

Essa foi a maior vitória conquistada pelos Guerreiros da Luz na Terra com o reconhecimento do Governo Planetário Divino e da Grande Fraternidade Humana da Terra pelos diversos Impérios Intergalácticos e pela Sociedade Cósmica e Universal.

Entramos numa Nova Era, a da Luz.

Que Deus esteja conosco!
Em Luz e Amor,
Paz em Cristo!
Shima.
Namastê.

(*) No dia 27/07/2018 durante a Reunião do Comando Central da Frota Intergaláctica, o CAD (Comando Águia Dourada) foi elevado à condição de membro da Frota Intergaláctica deste Universo Local.

- Saiba mais sobre o CAD - Comando Águia Dourada:





Postar um comentário

 
Top