0


GRATIDÃO PAI MICAH, FELIZ DIA DOS PAIS!

Hoje é uma data especial na nossa sociedade humana onde homenageamos aquela figura que é o nosso genitor aqui na Terra nesta vida atual. A figura paterna é algo transcendental que nos direciona no caminho da vida e através do seu exemplo é possível manter nossos passos na conduta correta em respeito à ética e à dignidade humana.

Em sua presença ou até mesmo na sua ausência, o amor paternal muitas vezes se expressa de uma forma que não compreendemos, por estarmos presos ao nosso próprio ego, perdemos a oportunidade de observar uma realidade oculta por trás da relação entre um pai e um filho ou filha. Cada geração vem com uma agenda diferente e para ambas partes é difícil a quebra de paradigmas entre o que é a tradição conservadora e o que é uma inovação e desafios.

Esquecemos muitas vezes de refletir sobre as dificuldades, o ambiente e a luta de um guerreiro que é a figura de um pai. Ele também foi filho...

E como foi a sua esperança ao lado de um pai em sua época?
Qual desafio teve que enfrentar?
Como foi a vida do seu herói?
Como foi a sua experiência neste campo de afeição ou de conflito?
E aquele pai que nem conheceu seu genitor?
Que na ausência aprendeu a ser filho e pai ao mesmo tempo?
Que marca carrega um pai em seu coração?
Qual é a intensidade da sua dor?

Cada filho tem a sua história com seu pai.

Mas hoje foi um dia surpreendente. Ao acordar recebi um amoroso beijo da Corujinha e num abraço ela sussurrou: “Feliz Dias dos Pais!”.

Em seguida anunciou: “Tem uma fila de visitas aqui para você!” – e sorriu.

A primeira figura que vi foi a do Pai Micah sorrindo que veio e me abraçou tão amorosamente que fiquei emocionado, sem palavras. Pediu-me para tomar o café da manhã primeiro que em seguida iríamos comemorar esta data tão especial. Olhei para a fila e não contive a alegria de ver a família toda reunida. A presença também do Grande Ser ao lado do Pai foi divina e alegrou meu coração.

O responsável por receber as visitas no NA é o Sr. Tranca Ruas das Almas que é o comandante direto da segurança do NA e que em uma encarnação foi o pai da Corujinha. E foi esse pai maravilhoso que a trouxe para a GM em junho de 2015. Aqui no dia a dia, ele também é um pai me trazendo luz com suas orientações e recomendações. Devo minha vida a ele em muitas oportunidades em que estive em combate no umbral.

Nos abraçamos e logo foi anunciando:

- A fila é longa, então é melhor você começar a atender...

Assim foi...

Tive uma linda conversa com o Pai Micah e com o Grande Ser que estava tão feliz. Veio o comandante do GC que é um pai divino de uma das nossas comandantes encarnada e que atua no NA, e logo em seguida foi a vez do Táta (tataravô) que hoje é um dos meus mentores espirituais, depois abracei o Bisavô, o meu Avô e para fechar o encontro, revi o meu pai terreno desta vida, o senhor Kotei, com quem tive um momento marcante e emocionante. Durante a conversa outra surpresa me deixou extremamente feliz quando me contou que está trabalhando ao lado de um Mestre que é um dos instrutores da GM.

Outro momento que me alegrou o coração foi a visita daquelas crianças que me chamam de pai no plano espiritual e quatro delas vieram correndo me dar um beijo. Elas estão sempre presentes aqui no NA e sempre chegam alegremente dizendo: “Pai, cheguei!”. Ao longo do dia temos muitas conversas sobre trabalhos da missão e sobre suas vidas de encarnadas. Elas têm tido muitas dificuldades nesta encarnação e por isso há muita troca de informações sobre a vida neste mundo terreno e em como lidar com cada situação. São momentos de aprendizado ímpar.

A missão que abracei junto ao Pai Micah é desafiadora... E imensamente gratificante! Estar a Seu serviço como um encarnado consciente da Sua existência tão divina e soberana. Já perdi a conta de tantos momentos cruciais que passei nesta vida e, quando tudo parecia desmoronar, apenas a Sua voz e Sua presença era capaz de levantar a alma de um guerreiro.

- Como está filho?

Ouvir sua voz é um bálsamo. Como disse, a existência de um pai é algo transcendental. E vivo isso literalmente. Receber um abraço Dele então é o melhor remédio para qualquer nível e grau de dor. Naqueles momentos de conflitos, principalmente quando as batalhas surgem em todas as frentes, é imprescindível sentar com Ele e ouvir suas orientações, recomendações e principalmente suas instruções. Ele tem solução para tudo. E as apresenta de forma amorosa, serena e profunda.

Com o Pai Micah tenho aprendido a compreender a vida. Não apenas a minha vida, mas a vida como entidade espiritual consciente. Compreender a existência de outras vidas além deste orbe terrestre. E essa oportunidade foi uma das maiores lições de vida que aprendi ao lado Dele. Vivenciei e testemunhei como o Amor de um Pai pode transformar e transmutar toda uma Criação. Como foi dito uma vez: “No Reino do Pai há muitas moradas!” e hoje entendo como é essa realidade. Vivo ela intensamente.

Visitar orbes espalhados pela imensidão cósmica, conhecer raças tão diferentes da nossa e conversar com entidades tão antagônicas em relação à raça humana tem sido um dos maiores desafios... Um aprendizado inigualável. Estar com a mente aberta e perceber as diferenças que existe de fato entre uma raça planetária e outras tão distantes de nós. Conhecer enfim aquelas raças que dividem o mesmo espaço aqui na Terra é algo que surpreende até mesmo as consciências mais elevadas.

E foi em contato com essas raças alienígenas aqui na Terra que comecei a compreender as razões de tantos conflitos e guerras, bem como, o que move estas ações de discórdias, disputa de poder e as questões políticas entre diversos impérios intergalácticos. Há tantos interesses em jogo que não é possível resolver tudo em tão pouco tempo o que se ocorreu por milhões e bilhões de anos terrestres com disputas bélicas. Por isso, a intervenção e intermediação do Pai Micah tem sido algo notável e majestoso no verdadeiro sentido da expressão.

Quantas vezes testemunhei julgamentos nos Conselhos Siderais e quantas vezes assisti o veredito da pena capital ser decretado. Ver o Pai Micah fazendo suas intervenções de forma tão amorosa, criando novas oportunidades aos que foram condenados à extinção. Não tem como se emocionar com Ele que é um Pai que hoje surpreende toda a Criação, todos os Pais Criadores, com o seu Plano Divino de Amor Crístico.

Numa das batalhas do CAD no orbe terrestre, duas raças alienígenas foram aprisionadas e levadas ao Conselho Sideral por terem burlado o decreto do banimento tendo se mantido ocultos e escondidos no mais profundos recôndito subterrâneo da crosta terrestre. E foi com surpresa que uma dessas raças pediu a intervenção divina do Pai Micah, pois não tinham para onde ir tinham nascido aqui na Terra há bilhões de anos e também consideravam este orbe como a sua casa.

Ao ver o registro akáshico desta raça que tem sido uma das que mais nos combateram na Grande Missão, vi que seus criadores os haviam trazidos à Terra, criando seus corpos aqui mesmo e desde então tem convivido com a raça humana contribuindo com a evolução da espécie humana. Essa raça alienígena que descende da mesma que integra um dos impérios intergalácticos, adquiriu um nível evolutivo dentro do Universo do Pai Micah e carrega em sua essência a energia crística desta convivência mútua com a raça humana. Diziam que não conheciam o seu Pai Criador e então queriam conhecer o Pai Micah e esta maravilhosa experiência resultou num encontro emocionante.

O GPT concedeu a permanência deles aqui no orbe terrestre como parte do processo de integração de todas as raças interplanetárias na direção do convívio pacífico e harmonioso dentro da Criação. Enquanto a outra raça que tem perpetrado muitos danos na humanidade terrestre e no corpo de Gaia foi banida definitivamente daqui, já esta raça benevolente prossegue em seu processo de crescimento e evolução junto à raça humana numa cooperação mútua de desenvolvimento em várias áreas científicas.

Outro caso envolve entidades de outra raça planetária que estão encarnados em corpos humanos e no qual tivemos uma surpresa maravilhosa com eles após um desfecho dramático ocorrido durante uma invasão desfechada por parte de um grupo desta raça que veio do planeta original com uma esquadra avançada e conseguiram penetrar no orbe terrestre, desencadeando uma ação imediata do CAD que entrou em combate com eles nos planos interdimensionais de Brasília. Todas as naves invasoras foram abatidas e seus integrantes capturados. Aprisionados foram levados ao Conselho Sideral para julgamento.

No contato com o líder do grupo desta raça encarnada aqui na Terra, a conversa se baseou na história desta raça aqui e os relatos de muitas ocorrências negativas que desencadearam em nosso orbe junto à sociedade humana. Hoje estão integrados à raça humana terrestre após longos aprendizados na linha de reencarnações. Constituíram famílias híbridas com humanos, a quem estimam com muito orgulho. Para eles a família humana tem sido a grande experiência com a qual não querem mais perder este vínculo.

O que mais me chamou a atenção foi a preocupação com a filha e não com a possibilidade do seu banimento daqui da Terra, demonstrando tanto amor à essa criança que nos comoveu. Vimos a dor em sua face pela separação que poderia ocorrer. A verdadeira dor de um pai. Nunca tinha presenciado isto com outras raças com as quais tivemos contato. Sincero, chorou. As lágrimas eram de um pai ciente de que não poderia mais ver a filha. Ele ainda não conhecia o Pai Micah.

Quando foi perguntado se gostaria de conhecer o Pai Micah, o líder desta raça ficou incrédulo, pois nem conhecia o Pai Criador dele visto que suas raízes ancestrais eram de outro universo. Assim, como poderia ir à presença do Pai Micah? Uma vez mais foi perguntado se queria conhecer o Pai Micah e as lágrimas novamente brotaram em sua na face. Estava trêmulo e por fim, aceitou ir. Na verdade ele não temia a extinção que poderia recair sobre toda a raça após o severo ataque contra o GPT, onde um membro do Conselho Sideral foi ferido gravemente, provocando outras dezenas de baixas na Frota Intergaláctica que tentaram interceptar a Esquadra invasora. O que mais temia era a separação de sua filha. Pediu que cuidássemos dela. Neste ponto, o amor de um pai salvou não somente a sua filha, mas também todo o seu grupo racial encarnado na Terra.

O que se viu depois emocionou mais ainda...
O Pai Micah com a filha dele no colo, sorrindo e brincando com ela.

Nos finais de todos os confrontos intergalácticos com as raças alienígenas, o divisor nas relações conflituosas em que o CAD atuou, foi a presença constante do Pai Micah, quando as lideranças, governantes e comandantes militares que antes consideravam a raça humana como escravos deles, e o orbe terrestre como uma colônia, mudaram suas posturas e relacionamentos ao conhecerem diretamente o Pai Micah, algo inédito e impossível na crença deles. Em seus universos anticrísticos nunca tinham tido o contato com seu Pai Criador, tudo era lenda e mito.

Ao estarem na presença do Pai Micah, até os mais resistentes líderes dos grandes impérios intergalácticos se renderam ao sorriso amoroso e ações deste Pai que se tornou o motivo e a razão de irem em busca de seus próprios Pais Criadores, que souberam ser também irmãos do Pai Micah. Em alguns casos, o Pai Micah promoveu estes encontros divinos entre Pais e filhos.

Por este motivo, muitas das grandes e temidas raças aceitaram a nova realidade que vem sendo implantada pelo Pai Micah no Universo Crístico, concordando com uma nova relação de cooperação mútua com a raça humana dentro da Criação.

As últimas rebeliões cósmicas e galácticas contra o Plano Divino do Pai Micah foram contidas e eram uma extensão da Rebelião Luciferiana do passado remoto que estava aflorando novamente. Com a intervenção direta do Pai Micah todos os conflitos existentes estão sendo debatidos em todos os Conselhos Siderais de forma pacífica, onde a Justiça Divina vem sendo aplicada, acompanhada de perto pelo Pai Primordial da Criação, a Fonte Que Tudo É.

Olho para o céu e entre as estrelas se vê as inúmeras moradas do Pai e nelas hoje é possível ver a esperança da convivência pacífica entre todas as raças que habitam o infinito. Muitas já podem compartilhar suas experiências numa cooperação jamais imaginada. E de um orbe azul, que parece um grãozinho de areia nesta imensidão cósmica, uma nova luz radiante brilha numa promessa de um lindo e próspero amanhã que se manifesta na Grande Missão do Amor de um Pai pelo Filho, percorrendo todo o Jardim da Criação.

Gratidão Pai Micah,
Pelo teu profundo Amor a nós!

Shima e Renata.
Paz em Cristo!

Postar um comentário

 
Top