0



“- Hora de migrar! – completei. 

Em pouco tempo, países chocados com a nossa força começaram a receber os refugiados.

Com eles enviamos algumas de nossas melhores tropas. 

Iniciamos o processo P3. 

Daquele instante em diante tudo ficaria fácil de explicar e se expandir. 

- Abram as fronteiras - bradei a plenos pulmões. 

Aos risos, Jan agradecia."

(Trecho do Livro “Terra II - Comando das Trevas: Mecanismos de Manipulação Umbralina”, página 42).


Saudações da Luz,

No dia 22/01/2019 o Brasil vai participar do Fórum Econômico Mundial (FEM) em Davos na Suíça que reúne governantes, empresários, políticos, economistas e representantes da sociedade civil em um dos maiores encontros em nosso planeta. O propósito do FEM é proporcionar as mudanças globais que afetam a Humanidade.

O FEM é uma Organização Internacional independente e imparcial para a cooperação público-privada. Seu objetivo é melhorar o estado do mundo através de discussões nas questões mais urgentes enfrentadas mundialmente, incluindo saúde e meio-ambiente.

A Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial (uma organização sem fins lucrativos) situado em Genebra é mais conhecido por suas reuniões anuais em Davos, Suíça, onde participam líderes da sociedade global. Os chefes e membros de mais de 100 governos, executivos das mil principais empresas globais, líderes de organizações internacionais e organizações não governamentais relevantes, os líderes culturais, sociais e de pensamento mais proeminentes se reúnem no início de cada ano para definir prioridades e moldar agendas globais, setoriais e regionais.

A atenção especial neste encontro será o nosso Presidente da República Jair Bolsonaro, que levará uma mensagem ao mundo pela primeira vez, após assumir o Governo Brasileiro no início deste ano. Esta será também a oportunidade das lideranças mundiais conhecerem a nova fase do Brasil, após as Eleições de 2018.

Muitos erros e acertos ocorreram ao longo dos anos a nível global e será a partir deste encontro de 2019 que a Humanidade poderá manifestar através das suas lideranças nacionais, seus anseios e suas cobranças. Não será uma reunião comum em relação às anteriores e sim um momento ímpar na história da humanidade.

O FEM 2019 em Davos demarcará o início do fim do antigo Sistema com a nova realidade planetária, um fato marcante deste encontro global.

Há que levar com conta três pilares fundamentais para o sucesso em Davos que é considerar a crise do Socialismo, o fator Humanitário e o extremismo Islâmico, nas pautas das reuniões que serão realizadas entre as lideranças mundiais.

Não há como implantar uma renovação global, se não houver a boa vontade e intenções reais que promovam o bem estar da humanidade em sua totalidade.

O Socialismo passa por uma transição a nível planetário após mais de um século de tentativas de proporcionar a “revolução” dos povos nativos, onde foi manifestado. E como tenho revelado em meus artigos, este regime não tem como dar certo por ser justamente um sistema alienígena negativo, no qual a meta final é a extinção da Humanidade terrestre.

É preciso que hoje, as potências ocidentais e orientais reflitam de forma autêntica sobre suas interferências diretas nas vidas de povos e nações que formam a família humana na Terra. Sem reconhecer as tradições e culturas ancestrais de cada nação não há como estabelecer o equilíbrio geopolítico neste planeta, impondo aos povos nativos interesses escusos e desumanos que tem ocasionado guerras e extermínio.

Chegou o momento de transformar o caos em que se encontra o mundo atual, buscando no diálogo, a solução das diferenças. A Elite Mundial que conduz os destinos da Humanidade deve ter a consciência espiritual de sua missão planetária. A Terra não é mais uma colônia cósmica... É um planeta soberano habitado pela raça humana terrestre. Esta é a mentalidade que deve vigorar a partir de agora em todas as mentes e corações.

Interesses alienígenas não confederados e negativos findaram.

A citação do livro que fiz no começo deste artigo relata o movimento oculto no nível umbralino sobre os refugiados em todo o planeta, suas causas e consequências malignas. A grande verdade é que as guerras não são criadas por entidades humanas, são originadas em outras esferas existenciais.

As ondas migratórias ocasionadas pela desagregação das estruturas básicas em seus pontos de origem precisam ser analisadas sob a ótica do fator humanitário devido à questão de segurança e caos social envolvido neste movimento global que é conduzido por forças negativas com estas intenções, conforme foi citado no livro “Terra II - Comando das Trevas: Mecanismos de Manipulação Umbralina”.

Em decorrência deste plano sinistro que é identificado por serviços de inteligência de cada país, percebe-se a natureza insana com que usam a massa humana para desencadear desordens e desequilíbrios sociais nos países onde ocorrem esses movimentos migratórios. A omissão clara da ONU em solucionar essas questões sociais mostra a incapacidade de gerir os problemas mundiais que são de sua competência.

Os casos dos muros construídos nas fronteiras de alguns países demostram o nível de gravidade e tolerância a que se chegou as relações internacionais, quando se usam destas ondas migratórias como método de invasão territorial para infiltrações terroristas com objetivo claro de promover atentados contra algumas nações e desestabilizar o seu governo constitucional. Não há como aceitar ações que violam a dignidade humana como também não podemos permitir que a história e tradição de povos nativos sejam extintos.

A questão que envolve o extremismo Islâmico deve ser debatida em sua essência, onde é possível desvendar a causa deste desvio de conduta inaceitável pela sociedade humana. O povo mulçumano é pacífico, amoroso e humano, o que não acontece com aqueles que escolheram o caminho da guerra fraticida no orbe terrestre. Por isso é dito que atos contra a vida humana através de ações genocidas não pertencem à família, são metodologias praticados por raças alienígenas negativas que não tem compaixão e nem piedade com a vida.

Basta uma simples reflexão sobre como são estes movimentos revolucionários, onde milhões de vidas são ceifadas como se as pessoas fossem criaturas insignificantes e desprezíveis. O olhar destes algozes que cometem o extermínio trazem o brilho do ódio, de um predador sanguinário e somente isso já demonstra que não são entidades da raça humana. Essa é a verdade que precisa ser dita. Todos os atos de extremismos e radicalização vêm de outras esferas existenciais e não são do Universo do Pai Micah.

A influência negativa da Segunda Guerra ainda permanece no Oriente Médio e precisa ser revista sob a ótica humanitária para ambos os lados envolvidos na disputa territorial entre Israelenses e Palestinos. O que está oculto neste conflito é uma guerra que ocorreu a nível cósmico entre as Tribos de Israel e a Ordem dos Dragões Negros e perdurou por milhares de anos.

Na Terra, o nível de traição, deslealdade e guerras marcaram a história destes dois povos que buscam o mesmo objetivo, a paz. O que ocorreu foram interesses das potências coloniais em manter o domínio nos tempos atuais e não se pode culpar os povos nativos pelos erros e cobiças de líderes e governantes que não revelam a verdade por trás de cada conquista.

Há um movimento maior por trás destes conflitos regionais que se espalham por todo o planeta de tempos em tempos.

O que mencionei no artigo CONSPIRAÇÃO ALIEN 08 - A CAPTURA DA CONSCIÊNCIA – (https://www.ernesto-shimabuko.com/2018/12/a-captura-da-consciencia-e-ocupacao-da.html) é o que tem ocorrido a nível mundial, levando as entidades humanas a entrarem em guerras contra si mesmas. Quando se declara a extinção de um povo é caracterizada uma intenção alienígena não humana, porque os povos da Terra são formados por famílias humanas que foram criadas para viverem de forma pacífica com respeito mútuo.

No âmbito do planeta Terra tem ocorrido a disputa de Poder entre as Ordens dos Dragões Negros e Vermelhos na dominação da raça humana e na conquista territorial do orbe terrestre. O maior desastre foi desencadeado pelos Draconianos, uma extirpe de guerreiros cósmicos que também sustentam um dos mais poderosos Impérios intergalácticos deste Universo Local e por séculos vem mantendo seu Império criado na superfície deste planeta.

Portanto, quando é dito que é fundamental levar em conta o fator humanitário, se deve às causas desencadeadas pela crise do Socialismo e sua inter-relação com o extremismo Islâmico que foi criado pela mesma fonte, os alienígenas não confederados citados acima. A Humanidade terrestre vem despertando e não aceita mais as interferências negativas sobre o seu destino neste planeta. É hora de mudar. É o momento de se conscientizar que a raça humana é a entidade que deve ser representada pelos seus líderes e governantes.

O estabelecimento da Paz na Terra será possível, quando a própria Humanidade tomar consciência da sua ancestralidade e de suas origens estelares e que todos fazem sua jornada terrestre para um propósito divino. A Terra é o espaço da convivência entre todas as raças planetárias que mesmo diferentes entre si, possuem em suas essências a matriz da Criação Primordial. Por isso, é necessária a erradicação da guerra pelo Poder e estabelecer a Fraternidade Humana em nosso planeta.

Nesta fase histórica da Humanidade não há espaço para uma nova guerra mundial, é o momento de compreensão, amor e compaixão. O respeito mútuo deve prevalecer em todas as mesas de negociações. Não é mais uma questão de seguir ideologias, mas de buscar soluções para todos os povos para que estes possam resgatar a soberania nacional, onde estão as raízes de suas tradições, culturas e ancestralidade. O estado de Paz cria o caminho da abundância e prosperidade para todos.

Cada povo e cada nação têm uma história particular e uma tradição que precisa ser mantida. Não é necessário jogar nações contra nações quando se é possível conviver em harmonia e respeito mútuo. Uma guerra mundial nesta atual conjuntura deve ser condenada e contida, pois não é a intenção russa, americana, chinesa, europeia e até mesmo iraniana se envolverem em atos suicidas ou de autodestruição. O que todos buscam é a prosperidade e a abundância para seus povos e é isso que precisa ser trabalhado de forma amorosa.

Unir a Humanidade para que o bem estar social seja estabelecido em cada recanto deste planeta deve ser a meta e objetivo global deste encontro da FEM 2019. Se assim for feito, os avanços tecnológicos terão as funções básicas para as quais foram criados e desenvolvidos. Estamos a um passo do restabelecimento dos laços fraternos que nos une à Sociedade Cósmica e Universal e este deve ser o desejo de todos os representantes da nossa Humanidade.

O Brasil resgata para si o direito de participar diretamente neste processo de transformação planetária, no qual a Nação Brasileira tem muito a contribuir por ser um país que se formou através da miscigenação de vários povos da Terra, que ampliaram os horizontes sobre a forma de convivência pacífica entre todas as raças que habitam o nosso planeta. Cada nação tem sua particularidade e a do Brasil é a de unir os povos.

Na geopolítica mundial, o Brasil simboliza a Paz na Terra.

Esta é a nova consciência planetária.

Em Luz e Amor,
Shima.
Namastê.



Saiba mais:

Independência do Brasil - O Resgate da Nação – 04/09/2018

O Lado Oculto da Batalha pela Independência – 12/09/2018

O que o Brasil precisa saber - 19/03/2015

Minhas Reflexões - O Caminho da Luz - 09/07/2014


Postar um comentário

 
Top