A REAÇÃO DE GAIA, O ESPÍRITO DA TERRA – 13/10/2019 - Caminhando com o Mestre

CURSO

LightBlog

NEWS

Home Top Ad

LightBlog

Post Top Ad

domingo, 13 de outubro de 2019

A REAÇÃO DE GAIA, O ESPÍRITO DA TERRA – 13/10/2019




Saudações da Luz,

“Neste último trimestre serão julgados os casos de quebra de acordos e o não cumprimento da agenda individual, coletiva e planetária de cada cidadão que lidera ou governa os destinos da Humanidade. Inúmeras denúncias foram apresentadas ao TPT (Tribunal Planetário da Terra) que foram enviadas ao TCC para análise, investigação e julgamento.”
(TRIBUNAL DO CONSELHO CÁRMICO – REUNIÃO DO ÚLTIMO TRIMESTRE ANUAL – 30/09/2019)

Entre as denúncias apresentadas junto ao TPT (Tribunal Planetário da Terra) consta o Caso Fukushima de 2011, onde a explosões dos reatores nucleares causaram danos gravíssimos ao corpo de Gaia (Terra) e os fatos antecedentes e posteriores ao acidente nuclear foram acompanhados de perto pelo TCC (Tribunal do Conselho Cármico) durante estes anos.

Todos os acidentes ou testes que envolvem a energia atômica ou nuclear acarreta a intervenção da Hierarquia Espiritual para a contenção ou prevenção, mas a Humanidade vinha sendo regida pela Lei do Livre Arbítrio, que foi suspensa a partir do último encontro ocorrido no TCC em julho deste ano, com a Intervenção direta do Pai Primordial no orbe terrestre.

O início de fato da Grande Missão em maio de 2012 aconteceu a partir do Conclave realizado pelo Tribunal do Conselho Cármico em janeiro daquele ano com a presença do Governador deste Universo Local, Sananda Kumara, que determinou a Intervenção na Terra para conter a dizimação da Raça Humana pelas raças alienígenas negativas e não confederadas, cujo objetivo era a ocupação total do planeta e a extinção da espécie humana da sua superfície.

Liderada pela Tríplice Aliança formada pelos Anunnakis, os Draconianos e os Reptilianos negativos, esta Força Não Confederada tem usado em suas interferências o poder da energia atômica, como a ocorrida em Hiroshima e Nagasaki no Japão no final da Segunda Grande Guerra, o que desencadeou a corrida armamentista nuclear em todo o planeta. O Império Intergaláctico dos Draconianos tem sua expansão no uso continuo de artefatos atômicos para a limpeza de suas colônias eliminando os povos nativos destes orbes.

Os casos mais recentes ocorridos em Chernobil em 1986 na antiga URSS e o de Fukushima em 2011 no Japão envolvem a falha humana e também a interferência da Tríplice Aliança Não Confederada no plano sinistro de redução da população humana sobre a Terra. Com a cumplicidade da ala radical do Governo Oculto no seu propósito de implantar a Nova Ordem Mundial, estes desastres nucleares não foram acidentes, mas parte de um projeto de ocupação do nosso planeta, assim como foram as duas primeiras grandes guerras mundiais no século passado.

Em vários trechos da série sobre a Conspiração Alien já publicado neste blog Caminhando com o Mestre, relato sobre a metodologia de Capturas de Consciências humanas onde a finalidade é o domínio da mente e do corpo de uma pessoa com intenções nefastas e bem definidas. Nada acontece ao acaso e sim, há uma sincronização de eventos que antecedem a uma catástrofe de grandes proporções onde a vida humana é ceifada.

A capacidade tecnológica alienígena negativa é capaz de promover tempestades, terremotos e alterações climáticas conforme os interesses ocultos da Elite que vinha governando o planeta Terra. E foram contra essas Forças Não Confederadas que o Comando Ashtar e o CAD atuaram para conter os danos graves contra o corpo de Gaia. Promover a cura de Gaia em pontos fragilizados envolveram vários procedimentos cirúrgicos no interior da Terra, principalmente nos casos de explosões atômicas e testes nucleares.

O nível de contaminação radioativa e sua repercussão em todo o Sistema Solar ainda é desconhecido pela sociedade humana da Terra. A Humanidade terrestre está engatinhando neste caminho sem a noção exata das consequências do mau uso de energia atômica que já causou a explosão e extinção de vida em inúmeros orbes desta Via Láctea. A existência do Cinturão de Asteróides entre Marte e Júpiter foi resultado de uma destas explosões atômicas no 5º planeta deste Sistema Solar.

Se não houvesse a contenção da radiação atmosférica no caso de Fukushima pelo Comando Ashtar, o Japão deixaria de existir hoje como uma civilização humana. A verdade sobre este caso ainda não foi totalmente revelada à população japonesa e os danos no corpo de Gaia prosseguem em função do vazamento das toneladas de água radioativa que estão sendo despejadas em solo e mar.

A reação do corpo de Gaia será devastadora para os povos da região, aumentando a intensidade das tempestades e terremotos e também ocasionando intensos tsunamis. Nenhum governo terrestre tem a capacidade de lidar com estes tipos de acidentes que são previsíveis, mas economicamente inviáveis para a correta prevenção. Nesta observação é fácil a comprovação dos fatos que antecederam esses graves acidentes. Os relatórios abertos ao público já sinalizam as falhas.

“No nível relacionado à crosta terrestre, as mudanças internas do planeta ocorrem da mesma forma como um corpo humano em processo de transmutação, onde a febre, o estado convulsivo e a falência dos órgãos internos podem ocorrer; É importante se ter a noção de que isso também acontece com o corpo de Gaia.

As mudanças climáticas tratam-se de um processo purificador da aura terrestre e pode ser extremamente catastrófica para a Humanidade, assim como as erupções vulcânicas e os terremotos são resultados do processo de aceleração vibracional do corpo de Gaia que deixa de ressoar com o patamar da 3D e inicia a sua etapa na direção da 4D em diante. A combustão interior do magma se intensifica pressionando toda a crosta até a superfície e é aqui que o holograma terrestre muda de forma, conteúdo e energia.”
(SOBRE A TRANSIÇÃO PLANETÁRIA E OS EVENTOS – 31/07/2019)


- Guerreiro, o que serão dessas pessoas se o inevitável vier a ocorrer?

- Amada Gaia, apenas temo pelo desencarne de milhões de pessoas que estão na região. E é nessa previsão que estamos agindo para tentar salvar o máximo que pudermos. A evacuação da região é praticamente impossível em razão da descrença e do pânico que precisamos evitar.

- Ainda terão que esperar por duzentos anos até que possam retornar e habitar novamente a região. – disse Gaia.

- Sim, será um desastre sem precedentes!

- O que poderei fazer? O meu corpo precisa fazer esta limpeza interna e não vejo outro lugar sem que cause danos às pessoas.

Este diálogo ocorreu anos atrás em um encontro com a amada Gaia durante os trabalhos de resgates realizados pelo CAD (Comando Águia Dourada) na costa da África onde foi identificado uma imensa falha pronta a rachar e o fator tempo era imprevisível, por isso foi necessário a realização deste encontro com Gaia. Ela mais do que ninguém poderia nos informar sobre as condições do seu corpo físico e quais reações seriam tomadas por ela neste caso. Quando ela disse que seria desencadeado um grande terremoto no Oceano Atlântico entre a costa africana e a do Brasil, a minha maior preocupação foi em relação aos reatores nucleares de Angra dos Reis.

Foi realizado junto ao Comando Ashtar as medições das ondas de tsunamis e realmente não haveria sobrevivência na costa brasileira em função das ondas superarem a marca de 500 metros de altitude com uma velocidade superior a 1.000 km/h.

A pressão interna do magma crescia diariamente no local previsto e isso desencadeou uma sucessão de encontros com Gaia para analisar o comportamento do seu corpo. Fizemos um intenso rastreamento ao longo desta falha e também das fendas existentes na crosta terrestre para estudar a potência energética acumulada que estava prestes a explodir. Haveria a necessidade de uma intervenção de alta precisão para distribuir essa pressão ao longo do corpo de Gaia, e isso incluía ondas de terremotos na região do Mediterrâneo, Atlântico Norte e Sul, Ásia e Oceania.

É como um procedimento cirúrgico no corpo humano, onde uma erupção cutânea ocorre em função de uma ferida ou inflamação e é possível expelir o pus em alguns pontos do corpo já afetado escolhendo alguns locais onde são feitas incisões para a retirada e/ou eliminação desta infecção.

No caso do terremoto previsto para ocorrer no Atlântico Sul poderia ser amenizado se a pressão pudesse ser distribuída ao longo do Hemisfério Sul reduzindo a potência energética de magnitude 9 para uma série de 4 a 6 graus sem maiores danos. Uma explosão em Angra dos Reis tornaria toda a região inabitável por mais de 200 anos e ceifaria a vida de milhões de pessoas.

A repetição do caso de Fukushima precisava ser evitada como também as perdas de mais vidas neste processo de contenção de um possível terremoto de grande magnitude no Atlântico Sul, por ser uma região praticamente despreparada para este tipo de evento catastrófico. O relatório da análise seria apresentado à Gaia e seria ela que tomaria a decisão final, o que foi feito dias depois.

No último encontro sobre o assunto, Gaia mostrou os locais onde poderia desencadear os terremotos de menor magnitude e assim amenizar os danos na superfície e perdas desnecessárias de vidas. A pressão seria aliviada ao longo dos meses em fendas que já estavam abertas. O Comando Ashtar faria os procedimentos cirúrgicos para a cura dessas feridas profundas no corpo de Gaia.

Assim foi feito e ocorreu ao longo dos anos de 2016 e 2017.

Foi nessa época que a Guerra Umbralina se intensificou e muitos artefatos atômicos foram desativados pelo Comando Ashtar nos subterrâneos da crosta terrestre e a Tríplice Aliança foi vencida e banida da Terra. Muitos dos terremotos foram causados por explosões atômicas no interior do orbe terrestre, por isso o corpo de Gaia estava infestado de feridas radioativas que se alastravam perigosamente nas suas camadas e poderiam rachar o planeta em vários pedaços.

Milhares de missões foram executadas pelo Comando Ashtar, pelo CAD e pelas Milícias do Arcanjo Miguel para evitar a destruição do nosso planeta nos anos de 1946, 1947, 1976, 1983, 1986, 1987, 1988, 1989, 1992, 1993, 1999, 2003, 2004, 2010, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019.


A Reação da Natureza e os Tipos de Desencarne

A força dos furacões na superfície do planeta tem a função de purificar a atmosfera terrestre, e também a de promover a limpeza planetária através do fogo, da água e do ar.

Cada elemento carrega em si um propósito e uma intenção, onde o fogo atua como purificador para eliminar o mal ou a alteração não autorizada criada pela Humanidade. As pessoas que morrem desta forma geralmente estão coligadas por carmas coletivos e trata-se de situações de violência impingidas em experiências pregressas neste ou em outros orbes.

A água vem para purificar o ambiente onde vivemos através de inundações e tsunamis o método menos doloroso, pois o desencarne é imediato sem longo sofrimento para a entidade humana. Neste caso, o desencarne através da água é atraído por pessoas que possuem uma tristeza muito profunda.

No caso de desencarne por furacões e tornados o significado está relacionado ao elemento ar e representa a violência do ser humano contra si mesmo ou contra outras pessoas ou situações.

O desencarne por terra ou soterramento está ligado à pessoas muito apegadas e acomodadas ou omissas em relação à própria vida ou de outras pessoas e situações.

O desencarne ocasionado por elementos químicos ou minerais costuma ser atraído por pessoas que geram danos culposos por negligência a si ou a outrem. Neste caso, a pessoa atrai a situação através da Lei do Retorno.

O desencarne por materiais radioativos (contaminação) geralmente ocorrem por desconhecimento da pessoa que teve contato com os objetos contaminados ou pela exposição ao ambiente. Estes casos são sempre amparados pela Hierarquia em função de não estar diretamente ligados à uma culpa ou dolo dos envolvidos. Muitos casos são ocasionados por guerra ou guerra fria e a Hierarquia atua com cuidado especial, pois normalmente as pessoas envolvidas não atraíram diretamente a situação para elas.

Outros tipos de desencarne aqui não mencionados estão relacionados a situações geralmente ligadas à carma coletivo ou pessoal.

Este tema sobre o desencarne também foi abordado no artigo “SOBRE A TRANSIÇÃO PLANETÁRIA E OS EVENTOS – 31/07/2019”
(https://www.ernesto-shimabuko.com/2019/07/sobre-transicao-planetaria-e-os-eventos.html) que recomendo para uma leitura mais profunda e possa promover reflexões sérias sobre o assunto.


O Caso Fukushima no Japão

Aqui temos uma situação que já ultrapassa oito anos desde o ocorrido com as explosões dos reatores nucleares de Fukushima em 2011 com suas consequências devastadoras para a sociedade japonesa e para o meio ambiente.

Se o Japão acordar a tempo ainda é possível evitar o desastre a nível regional que envolverá todo o Extremo Oriente em razão da incapacidade de armazenamento da água radioativa nas condições atuais, e também de evitar que toneladas de águas contaminadas sejam despejadas no mar, o que poderá ocasionar outro dano mais grave se não irreparável a todo ecossistema e vida circundante ao local onde for despejada.

A ferida no corpo de Gaia foi aberta como uma “facada” na explosão dos reatores e afetou seus “órgãos internos” causando uma hemorragia de dimensão planetária. A reação natural de Gaia surge através de convulsões, estado febril e do processo cancerígeno criado pelo homem no corpo físico dela. Conforme este dano se alastra pelo interior da crosta terrestre nos lençóis freáticos e pela superfície afetando a atmosfera terrestre, a humanidade deverá estar atenta e preparada para o pior dos desastres naturais em consequência da reação do corpo de Gaia.

O último Tufão, o Hagibis, a percorrer a costa japonesa mostra com sua potência o sinal do que está a caminho no processo purificador do corpo de Gaia nos próximos eventos.

Em Luz e Amor,
Paz em Cristo!
Shima.
Namastê.


Veja mais:

GAIA, A DEUSA MÃE - 7 ANOS ATRÁS...

Um comentário:

  1. As usinas nucelares de Angra ainda são um potencial perigoso para uma possível retalhação das forças não confederadas?

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad

LightBlog

Páginas