0



15 de Novembro, Dia da Umbanda


MENSAGEM DA MESTRA NADA


"Saudações Filhos,


Quando todos perceberem que temos a mesma fé e manifestação, a Hierarquia Divina poderá consagrar nos tempos atuais a descoberta da verdade crística.
Reconhecemos na Umbanda de hoje, na Aumpram de outrora, o caminho mais fiel que conduz a verdade crística.

Isto se deve ao fato de todos poderem atuar na mesma seara por amor, com a responsabilidade, comprometimento e benevolência misericordiosa.
Aos médiuns que atuam nesta lei se façam presentes e usem o embasamento do conhecimento Universal como o estandarte para o amor divino consciente.

Que suas mãos sejam os cálices da Espiritualidade e que o seu compromisso com a Lei Divina Universal guie os seus passos.
Que os Orixás atuem na sua coroa e você seja o canal da manifestação primordial realizada.

Hoje manifesto meu pedido para que a Lei se faça, se integre e restabeleça neste orbe a verdade crística. E que todos aqueles que dissoarem desta verdade sigam seus passos em uma nova Jornada.
Que Orixá Exu se integre a sua morada.

Eu Sou Nada".

Canal: Renata Zimmermann
Mensagem recebida em 15/11/2018 às 15:51h.




Saudações da Luz,

Comemoramos hoje o Dia da Umbanda e não poderia deixar de falar sobre esta Entidade Espiritual que carrega na ancestralidade a história, os registros e os alicerces que criaram inúmeras religiões no passado remoto tanto do Oriente quanto do Ocidente. Nos tempos atuais é preciso manter a mente aberta quando se aborda temas espirituais porque sem essa atitude fica incompreensível a visão sobre a nossa origem neste orbe terrestre.

A Umbanda é considerada uma Religião porque tem a função de Unir o Humano e o Divino no Homem. Ela não pode ser catalogada como seita ou igreja e nem um templo, pois a Umbanda é conhecimento e ciência sagrada com sua origem nos tempos primordiais da Raça Humana neste planeta. Portanto, está além da imaginação das pessoas encarnadas neste plano terreno, porque a sua fonte original é a própria Criação e seus Instrutores se assentam nas Linhagens Sagradas do Pai Primordial, a Fonte Que Tudo É.

É preciso que a sociedade se mantenha afastada da margem da discriminação e da rotulagem sobre o que desconhecem, principalmente quando o assunto se relaciona à religião. Cada pessoa tem sua própria crença pessoal e coletiva e é parte da nossa jornada aqui na Terra o aprendizado sobre a nossa espiritualidade e o estudo sobre as origens cósmicas e universais. O processo de evolução da alma humana tem vários caminhos e apenas uma direção: Deus.

A Umbanda difere muito do Candomblé (matriz africana) e do Kardecismo (espiritismo) e tem sua estrutura fundamental ancorada na ancestralidade brasileira, pois o seu fundador Caboclo das Sete Encruzilhadas foi em uma de suas encarnações, o padre jesuíta italiano Gabriel Malagrita que teve uma vida missionária no Norte e Nordeste brasileiro no período colonial do Brasil entre 1721 a 1754, quando a capital era a cidade de Salvador.

O seu contato com os indígenas na época teve um propósito divino, o seu retorno e o contato direto com os remanescentes de uma civilização milenar que existiu num passado remoto em terras brasileiras e era ligada diretamente ao continente atlante. Desencarnado após a sua morte na fogueira da Inquisição, retornou ao Brasil onde deu continuidade à sua missão no resgate da ancestralidade da nação brasileira através do plano espiritual, atuando na Umbanda como o Caboclo das Sete Encruzilhadas.

No passado, o Caboclo das Sete Encruzilhadas foi um dos Grandes Sacerdotes dos Templos Sagrados do Império Divino que existiu no coração deste solo sagrado. Um dos erros na tradução antiga durante a fase do descobrimento desta terra tupiniquim foi a interpretação sobre um nome que foi pronunciado pelos indígenas quando perguntado pelos portugueses sobre onde estavam e que foi respondido: “Baratzil”. Como os indígenas apontavam na direção ampla do horizonte, a visão dos navegantes apenas viam as árvores abundantes em volta e então a confusão se estabeleceu na mente dos primeiros colonizadores.

Na Era Atlante, as terras ao sul do Grande Continente da Atlântida eram conhecidas como Baratzil, que depois das catástrofes e as inundações, este Império se fragmentou em pequenos reinos cujos habitantes sobreviveram e vieram a formar sobre as ruínas antigas os impérios Incas, Maias e outras nações que originaram as tribos indígenas da Amazônia. Por isso desde aquela época até os dias atuais, o Brasil mantém a mesma egrégora em seu nome da antiga civilização sagrada que foi a maior que existiu nesta Humanidade terrestre.

Na Umbanda há um manancial de estudos e conhecimentos ancestrais que podem ser acessados por pesquisadores, estudiosos, esotéricos e espiritualistas universais, pois em seu acervo há uma série de livros, incluindo os que foram psicografados pelo médium Rubens Saraceni que aborda a Ciência Sagrada, base da criação de muitas religiões da Humanidade. Entre estes destaco dois em especial: a “Gênese Divina de Umbanda Sagrada” e “Doutrina e Teologia de Umbanda Sagrada” (publicações da Ed. Madras), que poderão contribuir imensamente no conhecimento desta religião que é única no mundo e original do Brasil.

Romper as crenças limitantes impostas na época Medieval durante o período negro da Inquisição e suas consequências e efeitos danosos nas religiões antigas é importante para a expansão da nossa consciência atual e no resgate da nossa ancestralidade. Toda crença religiosa parte de apenas um principio: a existência e a onipotência de Deus, nosso Pai Criador.

Então, todos os caminhos levam a Deus. Essa é a verdade.

A Umbanda é reconhecida como uma Religião de origem nacional e tem na data de hoje, 15 de Novembro, o seu Dia de Comemoração no nosso calendário oficial, conforme o Decreto-Lei nº 12.644, de 16 de maio de 2012:

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 12.644, DE 16 DE MAIO DE 2012.
           
Institui o Dia Nacional da Umbanda.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

          Art.1º    Fica instituído o Dia Nacional da Umbanda, que será comemorado, anualmente, em 15 de novembro.

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 16 de maio de 2012; 191o da Independência e 124o da República.

DILMA ROUSSEFF
Anna Maria Buarque de Hollanda
Luiza Helena de Bairros

Este texto não substitui o publicado no DOU de 17.5.2012


E como todas as religiões, crenças e templos há a garantia constitucional para a sua existência em território nacional:

Inciso VI do Artigo 5 da Constituição Federal de 1988

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
VI - e inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;




Deixo aqui alguns links relacionados sobre este artigo, com temas já publicados no Blog Caminhando com o Mestre sobre o assunto:

A Umbanda e a Nova Era

Os Missionários da Nova Era

Como Será a Religião da Nova Era

Os Médiuns da Nova Era

Mensagem de Mestra Nada para a Nova Era

O Fim da Transição Planetária

A Construção da Nova Era

Todos São Médiuns

Exus - Os Guardiães da Humanidade


Permaneçam na Paz em Cristo!
Em Luz e Amor,
Shima.
Namastê.


Postar um comentário

 
Top