0




Saudações da Luz,

Estou escrevendo este artigo apenas para registrar meu depoimento pessoal sobre as minhas reflexões do movimento de resgate da nação brasileira promovida por um candidato à Presidência da República que ganhou as eleições neste domingo, mas que teve essa vitória no primeiro turno escandalosamente fraudada.

Esta afirmação é apenas a minha opinião pessoal pois tenho a plena consciência de cada passo que desencadeou a inversão das informações, dos dados e da manipulação mental realizada a todo momento, minuto a minuto, na própria mídia que transmitia as informações ao vivo em horário nobre.

Foi visível desde o início o nervosismo dos apresentadores, quando apareceu pela primeira vez na tela o resultado parcial em que o primeiro candidato já aparecia com 49,02% dos votos válidos quando já haviam sido apuradas 53,49% das urnas até aquele momento. Isso aos  oito minutos do programa.

Portanto, restavam ainda 46,51% de urnas para serem apuradas. E dentro desta estatística, o primeiro candidato precisava somar apenas mais 1% de votos válidos e vencer a eleição já no primeiro turno. Simples não?


O Que Aconteceu?


Vamos analisar o quadro final das apurações deste primeiro turno para tentar entender o que realmente aconteceu com o primeiro candidato que ganhou mas não levou. Para termos uma melhor visão e comparar os dados vamos analisar os resultados dos três candidatos mais votados à Presidência da República.

O primeiro candidato venceu em 16 Estados e no Distrito Federal, sendo que 13 deste total, o elegeu no primeiro turno. O segundo colocado venceu em 8 Estados do Nordeste e no Pará e 4 Estados o elegeram no primeiro turno. Ficou para o terceiro colocado à vitória no Estado do Ceará.

Nas capitais dos Estados e no DF, o primeiro colocado venceu em 22 cidades e Brasília e passou pelo primeiro turno em 15 destas capitais. Já o segundo colocado venceu apenas em 3 capitais do Nordeste e o terceiro ficou com outra capital.

No nível nacional, o primeiro candidato foi eleito no primeiro turno nas Regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul e alcançou 43% dos votos na Região Norte, sendo vencedor majoritário nos 3 maiores colégios eleitorais do país. A Região Nordeste ficou para o segundo colocado com 49% dos votos válidos.

Aos 09”47’s veio a surpreendente queda do primeiro colocado em menos de 4% de votos apurados na sequência. Neste ponto a tela mostrou que o primeiro candidato estava com 48,94% dos votos válidos num total de 57,31% de urnas apuradas. Aqui a sutileza da guinada ascendente quase imperceptível de apenas 0,08% da votação que permaneceu neste patamar por cerca de 3 minutos. A partir deste ponto até o final das apurações, o primeiro candidato foi decaindo até alcançar os 46,03%, mesmo continuando a vencer de forma expressiva até o final do pleito.




O interessante que o primeiro colocado vinha subindo em todas as regiões do Brasil, inclusive no Nordeste. Mas neste momento da queda ocorreu algo muito estranho porque as apurações seguintes mostravam uma subida também leve do segundo colocado de 0,21% dos votos (26,09% para 26,30%), quando estava havendo uma queda na Região Nordeste neste mesmo período em 3 leituras: 46,44% - 46,42% - 46,39% - e após a queda do primeiro colocado, foi para 46,58% numa ascendência até os 49%.

Outro fator foi que as urnas dos Estados de MG e SP somente apareceram na tela pela primeira vez aos 23”29”s do início do programa de TV e o primeiro candidato venceu nestes 2 colégios eleitorais, sendo em MG com 71,87% das urnas apuradas, ele tinha 49,41%, precisando então de apenas 0,6% de votos válidos em 28,13% das urnas que ainda estavam sendo apuradas, mas terminou em 48,31%, uma queda de 1,1%. Em SP com 65,56% das urnas apuradas o primeiro colocado já atingia 53,93% dos votos válidos, terminando com 53% ao final das apurações.

Interessante observar que os dígitos decimais deixaram de aparecer nas regiões quando as apurações atingiram em 94,47% das urnas. E ao atingir os 95,57% das urnas apuradas foi anunciado pelo apresentador do programa que os dois primeiros candidatos foram para o segundo turno, quando o resultado apontava 46,70% para o primeiro candidato, 28,37% para o segundo colocado, e 12,52% para o terceiro. Já eram 20h50min do dia 07/10/2018.


O Triste Desfecho Que Poderia Ter Outro Final


Na minha atuação com o CAD presenciamos o que ocorreu e vimos quando o primeiro colocado atingiu os 52,8% e tudo começou a acontecer e a confirmação veio depois ao ligar a TV e assistir o desenrolar dos acontecimentos até o final das apurações. As ocorrências foram tal como foram narradas no último artigo. Somente depois analisando mais detalhadamente foi possível verificar como tudo aconteceu.

E o acompanhamento ao vivo começou quando já estavam com 53,49% das urnas apuradas. Ao longo do programa ficou evidente a preocupação de sempre mencionarem o fato do Ibope na boca da urna indicar o segundo turno. E a alegria comemorada pelo apresentador quando no final anunciou o segundo turno foi escandalosa, revelando diante do público a sua torcida mal disfarçada para que o primeiro candidato não vencesse no primeiro turno.

Portanto, é difícil de perceber e praticamente impossível de fazer a auditoria porque não há voto impresso visto que o mesmo foi vetado pelo STF em maio de 2018, após ter sido publicado no DOU em setembro de 2015, que o voto impresso deveria ser efetivado como comprovante da urna eletrônica.


Lei nº 9.504 de 30 de Setembro de 1997
Estabelece normas para as eleições.

Art. 59-A. No processo de votação eletrônica, a urna imprimirá o registro de cada voto, que será depositado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado. (Incluído pela Lei nº 13.165, de 2015).

Parágrafo único. O processo de votação não será concluído até que o eleitor confirme a correspondência entre o teor de seu voto e o registro impresso e exibido pela urna eletrônica. (Incluído pela Lei nº 13.165, de 2015).



O que ficou claro para mim é o absurdo que caracterizou uma fraude que não pode ser comprovada senão pelo bom senso e análise de quem acompanhou do início ao fim a apuração das urnas e como ocorreu uma série de fatos que se bem observados, poderiam detectar a forma tendenciosa e manipuladora que ocorreu durante a apresentação do programa na TV.

Finalizando, como provar a coerência dos fatos ocorridos quando o primeiro candidato prosseguia vencendo nas urnas e de repente, como se desse um tranco nos ponteiros de um relógio o fizessem “andar para trás”?

Pois bem, os 49,02% que surgiram na tela do programa de televisão ao vivo, no seu passo seguinte seria o surgimento irreversível da marca dos 52,8%, mas que não veio e sim, uma mudança radical numa queda vertiginosa que quebra o paradigma da aerodinâmica de um caça em sua subida ascensional e de repente dá um tranco parando no ar e embica para baixo. Por isso ficou registrado uma pane no sistema dos gráficos que foi simultânea para todos os candidatos. Quem tem olhos para ver, verá.

Então na trajetória como se explica a tendência dessa queda a partir dos 49,02%, faltando apenas 1% para ganhar o pleito e começar a seguir numa linha descendente até o patamar dos 46,03%, enquanto o segundo colocado já havia iniciado uma queda e parado de subir? A diferença deste ponto em diante até o final das apurações das urnas foram os insignificantes valores de queda do primeiro colocado em -2,99% e a subida do segundo colocado em 3,19% pontos, finalizando respectivamente cada um com 46,03% e 29,28%. Basta agora, conferir com o resultado do quadro geral deste primeiro turno.

Quem realmente venceu esta eleição Presidencial de 2018?

Para mim, não resta dúvida.

O segundo turno se houver será apenas a Consagração da Vitória do primeiro candidato que teve em seus filhos também candidatos, os mais votados para o Senado e para a Câmara. E se houve a aprovação da sociedade brasileira em praticamente todo o território nacional do primeiro candidato e a condenação do partido e dos candidatos do segundo colocado nesta eleição pelo voto, então como fica a verdade?

O Brasil escolheu o seu Presidente.

Então é hora de toda a sociedade brasileira conservadora e tradicional, que preza os valores familiares, a ética e o bem, se manifestar publicamente diante dos responsáveis pela guarda da Constituição e da Lei e exigir a investigação dos fatos, quando houve milhares de denúncias de fraude, sendo registradas 16 mil só no Nordeste.

Que a sociedade brasileira seja respeitada em seus direitos aqui e agora.

Chega de desordem. A nossa bandeira é sagrada.



Nosso coração é verde e amarelo.

Que Deus nos Abençoe!



Em Luz e Amor,
Paz, Brasil!
Shima.
Namastê.


Postar um comentário

 
Top